Nome do Escritor: Dalva Nogueira de Souza

Livro A festa da cenoura

A peteca assustadora

PETECA. DEU um SUSTO.
Na BONECA.
Que SE LAMBUZOU.
Na MOQUECA
DEPOIS GRITOU
PERERECA.
Que ERROU o PULO
CAIU em CIMA.
Da REBECA.
Que ASSUSTADA
TRANCOU-SE.
Na BIBLIOTECA.
Que  de DENTRO FALAVA:
NÃO COMA.
BISTECA!
Que SALTOU da PANELA.
FALOU:
REBECA! REBECA!
Que TIRAVA
Uma SONECA.
Que VIA um ASTECA 
Dançando discoteca

Acalme-SE:
Foi o sonho da REBECA.
Que ACORDOU.
E DEU um TAPA na PETECA.

Local de Nascimento: Canabrava/Malhada BA

Cristina

É a menina que ama:
CARMOZINA, CARMELINA E VALENTINA

É a menina que sobrevoa:
A COLINA, A CAMPINA E A PISCINA

É a menina que come:
MARGARINA, GELATINA E TANGERINA

É a menina que entra:
NA BOTINA, NA BRILHANTINA E NA PISCINA

É a menina que odeia:
BUZINA, ASPIRINA E GASOLINA

É a menina que é:
BAILARINA, QUE SAI DETRÁS DA CORTINA, TODA CHEIA DE PURPURINA

Formação Acadêmica: Pedagogia

Interrogações de um tatu

Quem já viu o urso panda
ser vocalista de uma banda?

Quem já viu a lagartixa
arrumar a unha com uma lixa?

Quem já viu a cutia
tomar banho na bacia?

Quem já viu o pardal


usar um avental?

Quem já viu a galinha
sair correndo atrás da sombrinha?

Quem já viu o gavião
dar um soco no leão?

Quem já viu o gambá
amarrar o tamanduá?

Quem já viu o pelicano
dar uma surra no tucano?

O tatu seguiu fazendo zombaria
ele não viu que todos os bichos te seguiam

O tatu ficou assustado
olhando para os lados
e os bichos perguntaram: quem já viu um tatu desdentado
está loucamente apaixonado?

Nasci em Canabrava Malhada-BA, casada, tenho 3 filhos, sou professora nos anos iniciais de Ensino Fundamental há mais de 20 anos, formada em pedagogia e pós-graduada em Alfabetização e Letramento. Já trabalhei com turmas de Educação Infantil.

Livro O sumiço das letras

Livro: O sumiço das letras

O hipopótamo

Quando diz que é corpulento
ele corre atrás do vento.

Quando diz que é africano
ele corre atrás do tucano.

Quando diz que come planta
ele corre atrás da anta.

Quando diz que sua pele é dura
ele corre atrás da tanajura.

Quando diz que é brutamonte
ele corre atrás do rinoceronte.

Quando diz que sua narina é apertada
ele corre atrás da onça-pintada.

Quando diz que vai para a áfrica
ele corre atrás da girafa.

Local onde vive: Canabrava/Malhada BA

O que faz o hipopótamo e seus os amigos?

O hipopótamo e a girafa,
dançam juntos lá áfrica.

O hipopótamo e o rinoceronte,
sobem em cima de um monte.

O hipopótamo e as onças-pintadas,
dão muitas gargalhadas.

O hipopótamo e o elefante,
estão dando banho no rinoceronte.

O hipopótamo e o tigre,
tomam chá de gengibre.

O hipopótamo e o leão,
fazem bolhas de sabão.

O hipopótamo e a zebra
esconderam febra.

Data de Nascimento: 23/03/1973

Os cachorros esfomeados

Um cachorro correndo atrás do outro
por causa de um osso
e os dois quase cairam
dentro do poço
aí o Sabiá-Bico-de-Osso
chamou o homem de bigode grosso
que os tirou do sarilo do poço
e levou-os para morar com ele
em Mato Grosso.

EMAIL: dalvanogueira2009@hotmail.com

Os ventos

O vento ligeiro
sopra, sopra até o além,
e leva palavras boas
para quem vive com desdém.
humildade, prezar, apreciação satisfação...

O vento suave
toca, toca com sutileza,
e leva palavras inspiradoras
para quem vive com tristeza.
entusiasmo, dedicação, alegria, esperança...

O vento ondulado
agita, agita com emoção,
e leva palavras bonitas
para quem vive com opressão.
Deus, ânimo, sabedoria, luta, paciência...

O vento empoeirado
anda, anda com nostalgia,
e leva palavras dóceis
para que vive com antipatia.
doçura, serenidade, meiguice, simpatia...

O vento forte
roda, roda com velocidade,
e leva palavras afetuosas
para quem vive com maldade.
bondade, compaixão, generosidade, carinho...

Livros publicados: A bruxinha que faz escurecer; A festa da cenoura Olha a rima!(e-book)

 alt=

Quem levou o presente de aniversário da abelha?

A cascavel não foi à festa,
mas mandou um anel.
a formiga saúva
levou um guarda-chuva
o tamanduá-bandeira
levou uma pulseira
o gato
levou um par de sapatos
a girafa
levou uma garrafa
a lacraia
levou uma saia
o vaga-lume
levou um perfume
a borboleta
levou uma caneta
a pata
levou uma gravata
a gralha
levou uma blusa de malha
a joanhinha
levou uma calcinha
o sanhaço
levou uma presilia com laço
a leoa
levou uma coroa
o rato
levou um porta-retrato
a anta
comia tudo meio que atrás da planta
o urubu
passou rapidamente e entregou um xampu
a perereca
não compareceu, mas pediu ao sapo para levar uma boneca.
o coelho
falou comigo traria um espelho
o veado
ainda não chegou, mas disse que traria um vestido com babado.
o caracol
levou um bonito lençol
a cegonha
levou a fronha
a raposa,
desconfiada segurou o presente da mariposa.

Atenção:
e a coruja?
a coruja
ficou irritada
pois, ouviu dizer que a festa foi boa
e ela não foi convidada.

Site/Blog: Somente no Site do Escritor

Talita e a dor de dente

Talita era uma menina de pele parda, sete anos, cabelos lisos com tranças. Seu quarto era bem organizado, cama bem forrada. Era muito estudiosa, ela amava doces. Era muito sapeca, pois, essa menina aprontava de vez em quando. Sua mãe dona Maria, era muito exigente com alimentação, rigorosa nessa questão da higiene bucal, sempre levava a filha para escovar na hora de dormir.
Um dia após ter escovado os dentes, deitou – se na cama a menina disse boa noite mãe! Mas a sapequinha já tinha planejado a travessura, pegou uma caixa guardou dentro da gaveta do seu armário, dentro dela havia cinco chicletes, vários bombons, sete pirulitos pequenos, um pirulito gigante, tinha até um doce suspiro. Logo que a sua mãe saiu, Talita trancou a porta, pegou a caixa, abriu e pensou:
- Qual deles eu vou pegar? Já sei o pirulito gigante, sentou- se na cama e começou a chupar.
Mas, um grupo de bactérias que tinha entrado pela janela do quarto ficou escondido no teto observando tudo que Talita fazia, então surpreso, o chefe do grupo falou:
- Vejam! Vejam! Agora a menina está chupando o pirulito gigante!!. Psiu! Silêncio!
Talita continuou chupando o seu pirulito para ela estava uma gostosura, antes mesmo de terminar já estava abrindo aquele bocão, o sono estava chegando...
O chefe das bactérias levantou a sua espada e gritou:
- Companheiros?!Companheeeeeeeeeeeeeeeeeiros!! Ao ataque, agora mesmo entraremos na boca dela, com essa espada quebrarei os dentes. Atenção! Todos devem entrar comigo. O grupo comemorou gritando:
- Há, rá, há, rá, há rá, há, rá, há, rá, há, rá, há, há, rá, há, rá, há, rá, há, rá, rá, rá, rá, rá, rá, rá, rá, rá, rá, rá!!!
As bactérias entraram na boca de Talita invisivelmente, ela nem percebeu. Dormiu muito bem.
Talita continuava cuidando dos dentes tinha momento que olhava no espelho abria um bocão enorme para olhar os dentes e dizia não estou vendo nada, não estão sujos, mas de vez em quando ela aprontava as suas travessuras, às vezes mentia dizendo que já tinha escovado, ela pensava dizia: - é só uma mentirinha. Numa manhã a menina foi morder uma maçã e de repente sentiu aquela dor de dente horrível. Amedrontada saiu correndo e gritando:
- Ai! Ai! Ai! Ai! O meu dente! O meu dente!
Dona Maria que estava lendo um livro na sala, se assustou e perguntou:
- O que foi? O que aconteceu?
Imediatamente levou a menina para o consultório da cirurgiã – dentista Ana Clara, que juntamente com a sua sócia, a doutora Renata fizeram uma avaliação assim que acabou a doutora Ana Clara falou:
- Agora menina tem que tomar este remédio é um pouco amargo, mas você vai melhorar. É preciso voltar mais vezes para fazer o tratamento adequado. Vou te um presente. Talita falou: - Obá!
É uma revista que fala sobre falando sobre a escova, o creme dental e o fio dental - disse a doutora Ana Clara.
Chegando em casa, dona Maria, deixou Talita de repouso. Então ela ligou para sua amiguinha Luciana, para vir faze-lhe companhia. Assim que Luciana chegou dona Maria serviu limonada com biscoitos, depois foram almoçar. A tarde as meninas começaram a ler a revista, quando terminaram a leitura Luciana teve uma ideia:
- Se a escova, o creme dental, o fio dental são nossos amigos então podemos pedi para eles que se você comer doce na hora de dormir seria bom que viessem te acordar para escovar os seus dentes. Imediatamente as duas meninas foram até o banheiro chegando lá Talita falou:
- Escova? Creme dental? Fio dental? Amiguinhos! Vir aqui, pedi um favor, toda noite devem observar se estou dormindo e perguntar-me se já escovei os meus dentes, a escova falou:
- Está bem chamarei delicadamente.
O creme dental disse: -se não acordar rápido eu chamarei com uma voz de rouca.
As duas meninas se olharam e deram gargalhadas. Depois de terem combinados as meninas voltaram para o quarto, sentadas nas poltronas Talita disse:
- Minha mãe disse que eu aprendi uma lição, pois nunca mais irei comer tantos doces, balas, pirulito gigante, e principalmente na hora de dormir, jamais esquecerei de escovar os meus dentes. Sei que todas crianças gostam dessas coisas. Mas, tenho que lembrar que devo comer doces, mas tem que ser pouco, nem gosto de lembrar daquele remédio amargo. Pois é Luciana se não for assim podemos sentir uma forte dor de dente.

Mande AGORA comentários para o autor

Livro: A festa da cenoura

Livro: A bruxinha que faz escurecer