O Taoísmo - Filosofia ou religião?

"Assim como a escuridão representa a ausência de luz, a luz também pode ser econhecida como a ausência de escuridão".
O Taoismo não pode ser considerado uma religião, pois na realidade nem mesmo pode lhe ser atribuído desde que não preenche as qualidade de filosofia. Evidentemente trata-se de um conjunto de preceitos que visa o estabelecimento de um sistema de vida em harmonia com o Cosmos mediante a interação entre todas as coisas e seres com UM Principio Único, indefiníveis, conforme está escrito:
Procurado, não pode ser encontrado - está além da forma.
Escutado, não poderá ser ouvido - está além do som.
Visto, não ser percebido - está além da visão".
Tocado, não poderá ser sentido - é intangível.
A origem do Taoísmo não é bem conhecida, os estudiosos não são bem concordes quanto à fonte original, atribuindo-lhe três fontes básicas.
A primeira delas, a mais antiga de todas, é chamada de "Fonte Yellow Emperor". Este nome é oriundo do nome de um antigo imperador da China, cognominado de o Imperador Amarelo, a quem é atribuído a divulgação da Acupuntura, sistema médico chinês à base de agulhas introduzidas em pontos estratégicos situados ao longo dos meridianos. Meridianos são as vias no organismo por onde circula a Energia Ch´i responsável e presente em todas as funções.
A segunda, a mais famosa é a de Lao Tsé - Tao Te Ching - contemporâneo de Confucio.
A terceira, a que é aceita pelos eruditos chineses, é aquela baseada num escrito sem título escrito por Chuang Tse.
Também dizem que a fonte original do Taoismo, é o I Ching, um antigo sistema divinatório chinês que usa 64 diferentes hexagramas, sendo cada um deles composto de dois trigramas representado por três linhas, continuas e descontínuas, representativas das polaridade Yang e Yin. Este sistema atualmente está em voga no mundo ocidental.
Existem dois aspectos básicos de Taoismo prático: Filosófico e Religioso. Tal como as múltiplas facetas do Budismo, esses sistemas estudam o Taoismo por diferentes razões. O lado filosófico enfatiza o Taoísmo o estudo da natureza na tentativa de estabelecer a harmonia entre as diferentes coisas e condições existentes. Por sua vez, o religioso preconizam a existência de um lugar de grande e pequenos deuses, estuda a natureza para procurar formas de mudá-la conforme as necessidades.
Como dissemos antes, a segunda vertente do Taoísmo é uma escola filosófica que tem suas raízes em escritos do séc. XV e que remonta a Lao Tzu, um burocrata que ignorou o mundo em busca do êxtase.
De acordo com a lenda, Lao Tzu era arquivista da corte imperial e que aos 80 anos deixou o reino para destino ignorado. Soube-se que, triste e desiludido, ele cruzou a fronteira entre a China e o Tibet decepcionado com os homens que pareciam não desejar seguir o caminho mostrado pela Divindade através da própria natureza.
Na fronteira, um guarda, Yin Xi (Yin Hsi), pediu a Lao Tzu que escrevesse a essência de sua sabedoria. Então, em 5.000 caracteres Lao Tzu compôs o Tao Te Ching.
Esta obra revela a natureza do Universo e cada um dos preceitos, expostos originalmente em versos, mostra que na essência o universo conhecido é composto de componentes opostos, ora físicos (hard/soft; claro/escuro), ora morais (bom/ruim), ou biológicos ( masculino/feminino), que podem ser classificados como tanto Yang (pronuncia-se "yong") ou Ying.
Existem diversas traduções dos escritos do Tao Te Ching cada uma com a finalidade de expor os ensinamentos segundo diferentes aspectos da natureza em geral e da atividade humana em particular. Isto leva a não uniformidade literal entre as traduções do Tao Te Ching, contudo no geral formam um mesmo contexto. Também devemos salientar que existe ainda a grande dificuldade oriunda da grande dificuldade em se traduzir textos que foram escritos em forma de parábolas, em escrita ideográfica, na versão original.
O Taoismo diz que o principal método para ser alcançado um estado de tranqüilidade é Tao, termo que traduzido significa: 'O caminho'. Em inglês: 'the way' ou 'path'. Neste conceito a palavra 'Te' se refere a "virtude" e 'Ching' se refere ás leis. Assim, Tao Te Ching, poderia ser traduzido literalmente por: "As leis da virtude e seus caminhos".
O Tao é representado graficamente por uma figura bem conhecida, cujo nome é Tei Gi.
Tei Gi
Um outro símbolo de Tao, bem mais antigo, é o "símbolo do peixe", e em volta existem um par de setas que simbolizam a interação dinâmica. As setas foram removidas em motivos contemporâneos, mas, foram popularizados novamente quando Bruce Lee usou em seu emblema do Jeet Kune Do.
Tao era o termo central místico de Lao Tzu e dos taoístas, indicando a origem de tudo, desde que as suas polaridades nem YING ou YANG podem existir independentemente.
Contradizendo os que insistem em dizer que o Taoísmo é uma religião salientaremos que os Taoístas Filosóficos são amplamente ateus, apenas eles procuram na natureza os segredos para vivenciar a harmonia e o êxtase, sem se preocuparem com o lado espiritual. Em decorrência disto do lado pratico da vida, os taoístas da linha filosófica copiaram os movimentos dos animais na busca pelas técnicas chegando às artes marciais cujos diferentes estilos incluem posturas de alguns animais, ente eles o louvadeus, a serpente e alguns estilos do Tigre.
Por sua vez, os taoístas teístas acreditam que, entendendo-se a harmonia da natureza, é possível alterá-la. Assim é que chegaram a aceitar Deus num grau um tanto extremado, nesse sentido desenvolveram complicadas cerimônias mágicas, e alguns estilos das artes marciais do Bágua. Estes Taoístas tiveram no passado, e têm no presente, seus próprios templos e sistemas de artes marciais ( Hsing-I, Bagua).
O Tai Chi, comumente atribuído ao Taoismo, tem origem um pouco diferente. Inicialmente foi desenvolvido, para ser arte marcial para soldados, há cerca de 1200 anos.
Agora, precisamos entender bem o que significa o Tao. Para isto vale o que ensina a Tradição: " Considere uma coisa como um morango. Se desejarmos encontrar a palavra 'morango', procuramos num dicionário; se desejarmos encontrar uma descrição de um morango, procuramos numa enciclopédia, mas se tivermos fome não vamos a uma biblioteca, mas sim para o campo onde podemos encontrá-los. Se acontecer não sabermos onde encontrar este campo, devemos procurar um guia para nos indicar onde encontrar bons morangos. Um bom livro pode nos apontar a direção dos morangos, mas não pode prover a fruta propriamente".
Diz o Taoísmo em sua sabedoria: "Afim de se ter uma idéia do sabor de Tao, vale salientar que não existe sabor para comparar com a experiência direta de Tao".
Existe um princípio universal que habilita tudo a ser como é, e a florescer naturalmente.
"O Tao é tão simples quanto complexo. É complexo quando tentamos entendê-lo, e simples quando nos permite experimentá-lo, penetrar no fluxo da natureza"
"Tentar entender Tao é como fechar as lâminas de uma janela antes de procurar pela sombra. Devemos fechar as laminas da janela para prevenir que outros descubram nosso tesouro, porém as mesmas laminas impedem a luz do luar. Tudo o que existe no ambiente é escuridão e dentro desta escuridão total, não conseguimos encontrar a sombra, mesmo que procuremos com cuidado".
"Chamamos uma coisa de sombra, e outra de escuridão, mas a escuridão é a sombra, e a sombra é a escuridão, portanto na realidade, ambas são a ausência de luz."
"A sombra é a escuridão num trecho de luz, mas dentro da total escuridão, a sombra tende a desaparecer, tornando-se sombras e mais sombras".
"Poderíamos pensar que a sombra foi destruída quando toda a luz foi removida, mas não foi arrancada; na realidade ela cresceu, mas precisamos mesmo de luz para ver uma forma de escuridão que chamamos de sombra".
"Assim como a escuridão pode ser conhecida como a ausência de luz, a luz também pode ser reconhecida como a ausência de escuridão".
"Quando notamos a escuridão e a luz como tendo a mesma origem, estamos próximos de Tao, na origem de ambas; escuridão e luz, assim como na origem de todas as outras coisas da natureza".
"Quando temos experiências como parte de Tao, como uma sombra ou reflexo do princípio universal, nós o teremos encontrado".

texto anterior

Texto anterior

          

Menu esotérico

Menu esotérico