1º CAMPEONATO DE REDAÇÕES "SITE DO ESCRITOR"

 Clique no título da redação para ler 


REDAÇÕES POR ORDEM DE CLASSIFICAÇÃO

C

Concorrente
Origem
Redação
Pontuação
13 - Neyd Montingelli Curitiba PR Cabrito Surrado. 114,5 Detalhar
4 - Paivinha Fortaleza CE O menino solitário. 109,25 Detalhar
1 - Isaac Molina São Caetano SP São Caetano presa nos prédios. 108,25 Detalhar
11 - A Flor Enigmática Campinas SP Um grande amor, não morrerá jamais. 99,25 Detalhar
15 - Neônio São Bernardo do Campo SP Extinta a lei que punia a vadiagem. 89 Detalhar
9 - Tião Carneiro Natal RN Bem, o amado. 85,75 Detalhar
10 - Augusto Poços de Caldas MG Quando o ruim pode piorar. 85 Detalhar
8 - J.H.Caspar Canoas RS Na beira do mar. 82,75 Detalhar
3 - Jotangelo Balneário Camboriú SC A Primeira Vez. 77,75 Detalhar
10º
2 - Humberto Pinho da Silva Vila Nova de Gaia - Portugal Aforrar vale a pena? 73 Detalhar
11º
5 - Guto Conceição da Barra ES A menina que vendia fósforos. 72,5 Detalhar
12º
12 - Ana Elisa Albuquerque Lima Valença RJ Momentos inesquecíveis que podem ser tri. 72,25 Detalhar
13º
16 - Ronaldo Oliveira Rio de Janeiro RJ Lágrimas de agosto em fevereiro. 70 Detalhar
14º
6 - Aida Mendes Itajubá MG Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho. 64,25 Detalhar
15º
7 - Cleber Antonello Avaré SP Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito. 59,5 Detalhar
15º
14 - Jfranck São Paulo SP A falta de visão corrompe a geração! 59,5 Detalhar

REDAÇÃO 1

Título: São Caetano presa nos prédios

Nasci e cresci em São Caetano do Sul, uma cidade linda e pequenina, que aprendi a gostar desde a minha infância. Minha educação foi toda fundamentada aqui e tenho orgulho de ser sulsancaetanense. Ao entrar no ensino Médio, passei a entender melhor a função do cidadão na conduta gestacional de uma cidade. A partir de então, comecei a acompanhar o desenvolvimento de meu município, verificando as ações econômicas e sustentáveis que o prefeito e seus secretários têm exercido. Além disso, comecei a pesquisar mais sobre a história e a geografia daqui. Com isso, verifiquei diversos pontos a serem discutidos e analisados, dentre eles, a excessiva verticalização desordenada e sem planejamento. Em diversos bairros, como por exemplo, o Boa Vista, estão em curso diversos empreendimentos imobiliários que não são acompanhados de infraestrutura. Observa-se também a falta de escoamento de carros e pessoas nas ruas da cidade.
De uns tempos pra cá, ao olharmos para as avenidas, como por exemplo a Goiás, nos assustamos com o número de prédios e arranha-céus que engolem tudo. Eles nos roubam a sensação de estarmos em um lugar mais agradável e fresco, além de sufocarem a população inteira. O estopim atinge muitos munícipes e pode causar diversos problemas de saúde, devido à onda excessiva de calor que essa verticalização trás; sem contar o stress no transito. Contudo, segundo o secretário da Seohab, muitas modificações já estão sendo feitas, com o intuito de “frear a verticalização, já que alguns bairros estão saturados e não comportam mais crescimento”. Desta forma, “não podemos continuar cegos diante dessa realidade”, devemos investigar as ações tomadas por nossos governantes, visando um melhor desenvolvimento sustentável do lugar onde vivemos.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 1 - São Caetano presa nos prédios

1º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 10 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 29 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios. --
Aforrar vale a pena? 02
A Primeira Vez. 02
O menino solitário. 02
A menina que vendia fósforos. 02
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho. 02
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito. 02
Na beira do mar. 02
Bem, o amado. 02
Quando o ruim pode piorar. 02
Um grande amor, não morrerá jamais. 02
Momentos inesquecíveis que podem ser tri. 02
Cabrito Surrado. 02
A falta de visão corrompe a geração! 02
Extinta a lei que punia a vadiagem. 02
Lágrimas de agosto em fevereiro. 01

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 9,25

Comentário: Excelente foi o tema apresentado por este participante. O desenvolvimento do tema foi bastante coerente. A exposição de idéias não chega a ser original, mas é diversificada, demonstrando bastante conhecimento sobre o assunto. A consistência de argumentação é ótima, trazendo vários elementos para enriquecer o quadro apresentado. Total relacionamento com os direitos humanos e a instigação da sociedade para voltar-se a um modo de vida mais salutar. Embora não aponte saídas para o problema, reforça a necessidade de todos nós acordarmos e agirmos por um mundo bem melhor. E acompanhar bem de perto os nossos governantes já é um bom começo. Divisão bastante clara entre introdução, desenvolvimento e conclusão. O encadeamento lógico dos parágrafos faz com que a leitura da redação flua tranqüila, rápida e deliciosa. Fica gostosa de ler. Internamente, os parágrafos também são bem coerentes. Pedimos para o campeonato, o envio de uma redação, e foi o que o Isaac nos enviou. Redação com 1480 caracteres. Perfeitamente enquadrada nos limites pedidos. Uso constante da norma culta, apenas um "pra" para tirar a perfeição. Perfeição no trato vocabular, sem nenhum caso de uso de palavra com significado sem ligação com o contexto. O texto apresenta riqueza vocabular, com o uso de varias palavras pouco usuais na comunicação popular falada. Acentuação excelente, um "transito" para atrapalhar, mas nada demais. A pontuação também está ótima. Ortografia, não encontramos palavras escritas de forma errada. Também não foram localizados problemas com concordância, os verbos todos em seu tempo, bonitinhos. Os pronomes usados no momento certo. A impressão que fica ao final da leitura é a de que é uma ótima redação, faltando muito pouco para receber uma nota dez.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 9

Comentário: Uma verdade hoje em dia, estamos precisando renovar as estruturas mesmo, está difícil de viver. Minha nota por achar contundente e condizente ao que propõe é Nota 9. Parabéns.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 6

Comentário: Algumas disfunções justificam a nota. Exemplo: repetição da expressão pleonástica \"como por exemplo\". Basta o \"como\" ou \"por exemplo\". Outra impropriedade é trás em vez de traz.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: --

Comentário: O texto está bem estruturado, e como moro em São Caetano, sei que a verticalização dos prédios é uma realidade em nosso munícipio!

Avaliado por Fernanda Hauschke Zuliani - São Caetano SP - Pontuação: --

Comentário: Ótima redação, retrata realmente a realidade na cidade.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 7

Comentário: Bom encadeamento dos assuntos, vocabulário coerente.

Avaliado por Bárbara - Osasco SP - Pontuação: --

Comentário: A realidade que ocorre em diversas cidades, muito legal, gostei bastante.

Avaliado por Mariza Lima Gonçalves - São Caetano SP - Pontuação: 9

Comentário: Apesar de alguns pequenos deslizes o texto do autor Isaac atinge a proposta ao defender o que pensa e seu argumento é convicente para o leitor. Um texto fácil de ler e de reflexiva postura. Merece ganhar.

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 10

Comentário: Muito bem escrita, para um jovem estudante. Não por ser um campeonato e sim por ser um olhar para a sua cidade.

Avaliado por Jfranck - São Paulo SP - Pontuação: 7

Comentário: Avaliação qualquer que seja é constrangedora. No entanto, seguindo regras se assim, que assim seja. Observo a pouca idade do escritor e isso tem que ser levado em consideração (17 anos) se continuar a ler e escrever alcançará potencial. Entretanto, devido a pouca idade e obviamente pela falta de experiência no \"trato escrito\", observei que usou A PRIMEIRA PESSOA DO SINGULAR para falar do assunto e logo em seguida no mesmo assunto PRIMEIRA PESSOA DO PLURAL, o que ao escritor atento, denota um erro gravíssimo de gramática, mas, vai melhorar, ademais a palavra escoar (não que esteja errado) usada como usou em relação ao deslocamento de veículos não encaixou bem.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 2

Comentário: Faltou o que todo escritor deve ter. Amor e superação ao escrever qualquer artigo, matéria ou mesmo redação. Tem que tornar mais vibrante a narração.

Avaliado por Henrique Magoga - Pinhalzinho SP - Pontuação: --

Comentário: Ótimo texto e muito bem escrito. O português esta perfeito e a leitura flui com muita tranquilidade!

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 10

Comentário: Um texto muito bem feito. Um tema que nos faz pensar sobre o nosso papel na sociedade. Parabéns.

Avaliado por Luan de Moraes Pereira - Ubatuba SP - Pontuação: --

Comentário: Extremamente bem feita.

topo

REDAÇÃO 2

Título: Aforrar vale a pena?

São quatro da tarde. Entro em casa de chá da baixa. O salão está quase despovoado. Junto ao balcão magote de adolescentes soltam gargalhadas escandalosas, sob o olhar reprovador da empregada. Ao meu lado, na mesa vizinha, dois roliços sujeitos, entrados em idade, dialogam a meia voz. No passeio, rente à parede, casal de namorados grudam furiosamente os beiços, e senhora, de imenso chapéu cor-de-rosa, que acaba de sair de viatura, lança-lhes gesto de indignação, arregalando os olhos. A conversa, que desenrola-se ao meu lado, anima-se. Um deles, estendendo a mão, a jeito de orador de comício, e de olhinhos fuzilantes, reclama: - “Trabalhei como um burro. Privei-me de tudo, e agora…” Pus as orelhas à escuta: - “ Via colegas tomar cervejitas, beber cafezinhos, em alegres farras… e eu nem férias. Tudo era aforrado.” - “ Comprei apartamento e pus um dinheirinho a render. Agora… é o que se vê! O caseiro ausentou-se com a chave.
O imposto sobre imóveis, subiu assustadoramente, e os descontos que o banco faz, são tais, que o juro é uma mirreca. Depois… eu, que era chefe, recebo de pensão menos que o salário mínimo de muitos países.” Ergui-me. Pousei duas moedas sobre a mesa, e acenei ao garçon. Já na rua, entre a multidão que afluia para a Praça, indiferente, meditava no que ouvira, recordando as sábias palavras de Alexis Carrel, que havia lido na juventude, em “O Homem Esse Desconhecido”. “ Se um homem economiza algum dinheiro para sua mulher e para educação dos filhos, esse dinheiro é-lhe roubado por financeiros audaciosos. Ou, então, é-lhe tirado pelo governo, e distribuído àqueles cuja imprevidência, aliada à imprevidência dos industriais, banqueiros e economistas, os reduziu à miséria.” E de regresso a casa, após o jantar, ainda ecoavam dentro de mim, as desoladoras palavras do velho senhor: “Trabalhei como burro. Privei-me de tudo… e agora é o que se vê! …”.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 2 - Aforrar vale a pena?

9º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 2 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 0 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios.
Aforrar vale a pena? --
A Primeira Vez.
O menino solitário.
A menina que vendia fósforos.
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho.
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito.
Na beira do mar.
Bem, o amado.
Quando o ruim pode piorar.
Um grande amor, não morrerá jamais.
Momentos inesquecíveis que podem ser tri.
Cabrito Surrado.
A falta de visão corrompe a geração!
Extinta a lei que punia a vadiagem.
Lágrimas de agosto em fevereiro.

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 9

Comentário: Excelente redação. O tema é muito atual, diria até, que é do futuro; já que boa parte da população ainda não se deu conta de que o acumulo de bens nem sempre leva até a tranqüilidade financeira, sobretudo na velhice. O desenvolvimento do tema é bastante coerente. De inicio, indicava a possibilidade de ter problemas para encerrar a redação, mas o autor foi feliz e encerrou bem com um belo momento reflexivo. Exposição de idéia original e discreta, para instigar o leitor a pensar. Argumentação bastante consistente, mesmo não usando um discurso direto acerca do tema. Algumas frases parecem estar perdidas no texto; quem é Alexis Carrel, muitos leitores não vão saber do que se trata. Redação altamente ligada as questões dos direitos humanos; trabalho, aposentadoria, qualidade de vida. Não aponta saída para o problema abordado, mesmo porque o momento do personagem é o de quem está começando a se dar conta da situação. Introdução, desenvolvimento e conclusão; bem claras e delineadas. Encadeamento lógico dos parágrafos. Também no que se refere às construções frasais. A organização estrutural do texto está de acordo com o esperado pelo Site do Escritor. Uso da norma culta com precisão, e uma grande riqueza vocabular. 1571 caracteres, absolutamente dentro do esperado. Nada a dizer sobre problemas com ortografia, acentuação, concordância e regência. Alguns problemas quanto a pontuação, no que diz respeito ao uso de hífens, e um certo exagero de tamanho nas frases entre aspas, confundindo o entendimento do leitor. A impressão final é a que é uma ótima redação, mas dá a impressão de ser um fragmento retirado de um texto muito maior.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 8

Comentário: Bem, ao meu entender ele expõe a situação de vida, mas é assim mesmo em todos países, quem casa tem obrigações e não adianta reclamar. Pior seria para ele o protagonista, se não cumprisse com as obrigações. Um cotidiano

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 8

Comentário: Boa redação, embora não tenha gostado da locução \"ao meu lado, na mesa vizinha\".

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 7

Comentário: Um bom texto, com estruturas bem montadas. Sugiro ao escritor que trabalhe com mais figuras de linguagens para expor uma ideia mas descontraída. Parabéns!

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 7

Comentário: Conteúdo um pouco disperso. Ficaria muito bom para um início de conto.

Avaliado por Jfranck - São Paulo SP - Pontuação: 8

Comentário: Pelo \"know-how\" do escritor, como mostra seu curriculum escreve bem. Gostei da forma escrita embora o conteúdo não seja muito dinâmico.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 2

Comentário: Está boa, mas poderia ser bem melhor. Uma história mais ativa e comovente. Faltou sensibilidade.

Avaliado por Jotangelo - Balneário Camboriú SC - Pontuação: 6

Comentário: Boa redação, mas com final inconclusivo. Problemas com pontuação.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 10

Comentário: Bastante reflexiva e me fez perceber que os continentes são outros, os países são outros mas os problemas são os mesmos.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 6

Comentário: Escreve com desenvoltura, gramática e pontuação boas, embora use o Português de Portugal, o texto é bom.

topo

REDAÇÃO 3

Título: A Primeira Vez.

A minha primeira vez se deu aos 61 anos, lembro. Exatamente aos 61 anos, cinco meses e um dia. Como poderia esquecer? E foi em público. Muitas pessoas presenciaram. Não foi porque quisesse dar espetáculo. É que fui pego de surpresa. Não sou tímido, mas assim apanhado tentei disfarçar e não consegui. Em um instante fiquei sem saber o que fazer. Em outro me recompus e fui em frente. Houve murmúrios de condenação dos muitos expectadores. O fato estava marcado para começar a partir das 13h30 daquela tarde quente e ensolarada de fim de verão. Cheguei esbaforido ao local às 12h30. Estacionei minha Harley Davidson 1600 que chamou a atenção dos presentes. De um salto já estava sem as luvas e o capacete sob o braço. Firme e resoluto parti para minha posição no final de uma gigantesca fila. Outros mais ansiosos que eu tinham se antecipado a mim. Assim postado concluí que minha vez não aconteceria naquele dia.
Nesse momento, alguém cuidadosamente perguntou-me se era a minha primeira vez e que idade eu tinha. Surpreendido respondi que sim. Era a minha primeira vez. Não tendo consciência imediata de minha idade demorei um pouco para dizer-lhe que estava com 61 anos de idade. A pessoa segurou afavelmente um de meus braços e convidou-me a acompanhá-la. Ouvi então o condenatório murmúrio. Encolhi-me e, diferentemente de como cheguei, pus-me cabisbaixo e oscilante ao caminhar. Era uma tentativa de diminuição da ferocidade daquela multidão de enfileirados ao longo das paredes envidraçadas de uma sala. Meu condutor, ao chegar à porta desta sala abriu-a e nela me fez entrar. Lá, pôs-me sentado em confortável cadeira, bem à frente de um condicionador de ar em funcionamento. De costas para os enfileirados lá fora senti que uma centena de olhos as fisgavam. Para aliviá-las esfregava-as, de vez em quando, no espaldar da cadeira. Fiquei ali até a chegada de uma bela e esbelta morena.
Cumprimentou-me entregando algo a que chamou de senha. Após, afirmou que em seguida eu seria chamado e atendido por outra moça. Eu ainda estava tenso em face dos olhares que se concentravam mim. Ante a expectativa do contato imediato com a prometida moça tive perceptível taquicardia. Mas era isto que eu buscava ali. Um encontro que acabasse de vez com a ansiedade que sofria. E aconteceu, de forma rápida até, mas foi bom. Bom para ambos, acho. A moça despediu-me com um sorriso, verdadeiro cumprimento. Eu e meu coração saímos dali em disparada. A nos excitar, o inusitado do fato e os olhares perversos dos que ainda continuavam em fila a esperar pela satisfação de suas necessidades. Esqueci até da moto. Busquei-a discretamente. No entanto, quando o motor explodiu, o seu ronco harley patenteado não conseguiu abafar um uhhhhhhhhhhh em forma de vaia emitida pelos ansiosos enfileirados. Acho que não fora para mim. Claro que não, pois eu acabara de ser contemplado.
Contemplado pela Agência da Receita Federal de Itajaí com o Estatuto do Idoso. No entanto, a esta certeza ajuntei outra. Descobri-me velho. Velho?! Sim, eu sou um velho. Um idoso. Em busca de consolo considerei que melhor descobrir assim que por meio de uma infame enfermidade. Agora, depois desta minha primeira e inesquecível vez, tornei-me ousado. E para não perder o pouco que tenho, o tempo, estou comendo todas ... as filas. Os mancebos que se cuidem. Não as perderei mais para nenhum deles.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 3 - A Primeira Vez.

11º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 0 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 4 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios.
Aforrar vale a pena? 02
A Primeira Vez. --
O menino solitário. 02
A menina que vendia fósforos.
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho.
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito.
Na beira do mar.
Bem, o amado.
Quando o ruim pode piorar.
Um grande amor, não morrerá jamais.
Momentos inesquecíveis que podem ser tri.
Cabrito Surrado.
A falta de visão corrompe a geração!
Extinta a lei que punia a vadiagem.
Lágrimas de agosto em fevereiro.

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 8,75

Comentário: Redação surpreendente. Claro que esperávamos algo que não fosse a primeira vez sexual, mas a primeira vez como velhinho soou bem legal. Um tema de alta relevância. A questão de nossa ausência de consciência da velhice que vem chegando, e a importância de levar esta fase da vida da melhor maneira possível, aproveitando seus benefícios. O desenvolvimento é rápido, porem, cheio de nuances e detalhes. Cria um cenário bem variado de emoções. A argumentação é bastante convincente. Fica a dúvida, se as pessoas ficaram revoltadas porque o cara tinha aparência jovem, ou se por ser rico, afinal, chegou de Harley... E sabe como é, rico é quase sempre privilegiado em qualquer situação. Um tema totalmente ligado aos diretos humanos. Aponta a melhor saída possível para a situação, deixar a natureza mandar. Ser velho sem dor, nem sofrimento. Perfeita divisão entre inicio, meio e fim da história. Encadeamento lógico entre os parágrafos. Lógica também internamente nos parágrafos. Característica de texto que atende perfeitamente ao pedido pelo Site do Escritor. 2.798 caracteres, quase mil além do solicitado, talvez o texto pudesse ficar mais enxuto. O texto apresenta o uso da norma culta, porem, a precisão e a riqueza vocabular deixa um pouco a desejar. Ortografia, acentuação, concordância e pontuação. Nenhum problema relevante. Quanto a regência, uma falha no último parágrafo. A impressão final quanto a esta redação é a de que poderia ser mais lapidada. Ela certamente pode ficar melhor, e com um pouquinho mais de cores fortes aos personagens, num bom conto transformar-se.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 9

Comentário: Lindo Dia Senhor. Avaliando seu texto, estou rindo até agora(rs). Um mistério, um enigma nas linhas dele a cada momento que fui me aprofundando nele. Lógico que esta primeira vez não foi a mesma de quando era jovem, e nem a mesma que foi agora. Mas para tudo na vida temos uma primeira vez. Nada mais a acrescentar, tudo está muito bem colocado no texto. Parabéns. Sucesso.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano do Sul SP - Pontuação: 9

Comentário: Que susto! Fiquei preso a leitura até o fim. Belo texto!!

Avaliado por Ana Elisa Albuquerque Lima - Valença RJ - Pontuação: 10

Sem Comentário.

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 10

Comentário: Adorei. Esta é uma redação, a meu ver. Um assunto com começo, meio e fim.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 5

Comentário: Ficou preocupado com a primeira vez, se estendeu demais e furou o regulamento. Lamentável.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 8

Comentário: Boa redação. Tem todos os ingredientes de bela crônica.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 8

Comentário: Gostei bem da escrita, excitando com uma certa dose de mistério. Parabéns.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 6

Comentário: Texto bom, gramática e pontuação quase perfeitas, porém o conteúdo deve passar do especificado nas regras recomendadas que é de trinta linhas no máximo.

topo

REDAÇÃO 4

Título: O menino solitário.

O pequerrucho menino de rua não tinha família. Estava faminto e suas vestes, eram trapos e seus calçados eram os próprios pés. Sua fisionomia raquítica, seu semblante de criança sofredora, assustada denotavam que seu coração clamava por aconchego e amor. Tinha lá seus 10 aninhos, e já começava amargar um sofrimento provocado pela solidão e ausência de companhia.Lágrimas desciam de seus olhos. Com a voz meio embargada, relutou em responder quando perguntei seu nome. “Sou João Evangelista”. “Não tenho família, companhia e liberdade para fazer o que todas as crianças da minha idade fazem.” Num momento de inspiração pedi calma e que ficasse sentado, enquanto eu retornava. Encontrei numa dessas quitandas mal acabadas, o alimento para saciar a fome daquela criança. Uma boa refeição era o mínimo que eu poderia fazer. Levei uma quentinha à presença da infeliz criança, que com as próprias mãos encaçapou toda refeição. Seu semblante mudou e um melancólico sorriso estampou em seu rosto.
Muito obrigado, mas estou com sede. Exclamou! Rapidamente voltei e providenciei um copo d’água, saciando-lhe a sede. Seu rosto de criança almejava a esperança de dias melhores. Meus olhos de melancólicos se fizeram incandescente entre várias incursões tIve uma idéia insigne.Um luzeiro surgiu a minha frente, uma senhora caridosa, lucigênita, indagou-me com altivez. Posso ficar com o menino solitário? Não tive outra solução, abri meu coração e com os olhos marejados cedí. Do submundo sai para o paraíso terrestre caminhei. Obrigado meu Deus e meu Jesus querido jamais esquecerei a sua lei e seus ensinamentos: “Deixai vir a mim as crianças, elas herdarão o reino do Céu”(grifo nosso).

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 4 - O menino solitário.

6º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 5 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 30 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios. 02
Aforrar vale a pena? 02
A Primeira Vez. 02
O menino solitário. --
A menina que vendia fósforos. 02
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho. 02
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito. 02
Na beira do mar. 02
Bem, o amado. 02
Quando o ruim pode piorar. 02
Um grande amor, não morrerá jamais. 02
Momentos inesquecíveis que podem ser tri. 02
Cabrito Surrado. 02
A falta de visão corrompe a geração! 02
Extinta a lei que punia a vadiagem. 02
Lágrimas de agosto em fevereiro. 02

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 7,25

Comentário: A relevância social do tema é incontestável. Apesar de tanto progresso, muitas crianças continuam passando sede e fome. O desenvolvimento é coerente com o tema, mas não expõe ideia original. Um prato de comida é o mais obvio a ser oferecido. A consistência de argumentação também deixa a desejar. Quando a criança fala parece muito mais articulada do que seria uma criança nas condições descritas. Quem é a mulher e porque a criança é deixada com ela? Ela é uma freira, uma policial, uma cafetina... A redação demonstra profundas ligações com os direitos humanos. Também aponta saídas para o problema, mas ao meu ver, insuficientes. Quanto à estrutura, está clara a divisão entre inicio, meio e fim. O texto foi construído em parágrafo único, isto pode ter dado uma certa confusão de seqüência de assuntos. Por exemplo: "Meus olhos de melancólicos se fizeram incandescente entre várias incursões tive uma idéia insigne". É o tipo de texto solicitado, uma redação voltada para o gênero "crônica". 1413 caracteres; perfeitamente dentro dos limites pedidos. Uso de norma culta; precisão vocabular, mas sem muita riqueza. Ortografia e acentuação bem feitas, mas há alguns problemas quanto a pontuação, concordância e regência. Faltaram alguns pontos e virgulas; faltaram também alguns "a" Toda refeição (toda a refeição); Denotavam (denotava). A impressão final que fica é a de que o autor poderia ter revisado seu texto. Se tivesse tido este cuidado e também se pensasse em uma solução mais definitiva para o problema, certamente teria um belo texto nas mãos. Ensinar a pescar também faz parte da doutrina cristã.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 9

Comentário: Concordo contigo. Seguir os ensinamentos da Luz, da Essência, compartilhar, dividir, somar, multiplicar, estender as mãos humildemente, ajudar ao próximo sem esperar nada em troca, são máximas que nos preenche o coração de alegrias. Parabéns.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 7

Comentário: O tema está razoavelmente desenvolvido, mas os desnecessários \"seus\" e \"suas\", além do sujeito cortado em \"suas vestes, eram trapos\", tiram-lhe o sabor.

Avaliado por Jfranck - São Paulo SP - Pontuação: 6

Comentário: O contexto geral é interessante, porém, muitíssimo melancólica. Não seria interessante o autor \"colorir\" um pouco mais as palavras, sem se ater propriamente ao texto, pois, desse forma, ficou realmente um espécie de periódico jornalístico. Opinião particular minha: quando se aborda tema tão delicado e real, faz-se a necessidade de um pouco de fantasia para atrair a atenção do leitor atento.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 8

Comentário: Texto bem profissional, porém com um final já esperado. O mundo precisa de pessoas que têm esperança. Meus parabéns!

Avaliado por Ana Elisa Albuquerque Lima - Valença RJ - Pontuação: 10

Sem Comentário.

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 7

Comentário: Argumento muito bom. O autor deve ter excluído partes importantes do texto para poder ficar com os 1800 caracteres.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: --

Comentário: Essa redação reflete a realidade, pois foi fato de notoriedade. Sou espírita e gosto de ajudar as pessoas. Pelo amor com que confeccionei mereço a nota auferida. Pode parecer fora de ética, mas não é.

Avaliado por Jotangelo - Balneário Camboriú SC - Pontuação: 7

Comentário: Iniciou com boa abordagem, mas ficou confusa no final, provavelmente pela pontuação faltante.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 7

Comentário: Bastante carismática. Um ou outro erro de digitação não impediram a boa interpretação do texto.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 6

Comentário: Texto bom, gramática e pontuação perfeitas, conteúdo dentro das exigências quanto ao limite de número de linhas.

topo

REDAÇÃO 5

Título: A menina que vendia fósforos.

Era uma noite fria e sombria, numa cidade grande, enquanto todos os adultos de vida abastada da cidade comiam e bebiam com elegância e delicadeza e suas crianças comiam todos os tipos de lanches, quitutes, doces e bebiam todo tipo de refrigerantes e sucos em restaurantes luxuosos, no entanto havia um ser humano fora desse ambiente que chorava por não ter com quem conversar e nem com quem comer e beber. Esse ser humano era uma miserável menina, vivendo na rua imunda e vazia da cidade, a pedir dinheiro ao vender uma caixa de fósforos, como se isso fosse apenas um mero ato de esmolar e não uma tentativa de sobreviver. A menina que fazia tal ato desesperado na rua era franzina, alta e feia para os padrões da sua sociedade, a qual a excluía de qualquer afinidade, pois a considerava não mais que uma mendiga, um ser a parte da sociedade, mais desprezada do que um cão sardento.
A menina não tinha lareira para se aquecer e a única coisa que a aquecia era quando esta riscava os fósforos, pois vendia muito pouco estes, obtendo pouco lucro, nesse seu negócio. A menina no entanto via na sua fé, a esperança de ter mesmo vivendo na pobreza ter uma eternidade benéfica. A menina conseguia se lembrar de pouca coisa boa de sua vida anterior a vida dura nas ruas, pois sustentava sua família desde os sete anos de idade, sua mãe e seu pai batiam nela, pois ela vendia seus produtos para poucos fregueses e recebia pouco dinheiro, estes a abandonaram de vez na rua, fazendo esta a sobreviver através da prática da mendicância que resultava na sua venda de produtos a qual, recebia pouco lucro. Sua avó é a única que amava de verdade, pois nunca a explorava e ensinava a pratica do amor e da honestidade acima do amor ao dinheiro, mas ela já faleceu a anos, ela tinha uns dez anos, hoje a menina possui quinze anos.
Um dia, a menina começou a sonhar que sua vida mudaria aqui na terra, como na eternidade, enxergou nas nuvens um homem barbudo, que falava com amor e rigor, que se ela buscasse, primeiro o reino dos céus, todas as coisas seriam por ela conquistada. Depois de um ano daquele episódio, um casal que necessitava de ter filhos, pediu a Deus em oração e no tribunal de justiça humana, que concedesse a menina como filha e conseguiram. A menina por causa da intervenção divina de Deus sua nova família e de seu esforço espiritual e intelectual começou a estudar e passou em todas as séries do ensino primário, secundário e até na faculdade de direito. Por anos viveu exercendo sua função de advogada e juíza em favor da causa das crianças espancadas e abandonadas, punindo os agressores com toda o peso da lei.
Ela morreu já na velhice, conseguindo realizar seu sonho, de melhorar a vida de crianças carentes, mas seu, maior triunfo foi conseguir através de sua fé em nosso salvador, entrar junto com sua avó e outros santos, ao reino dos céus, onde não existiria mais dor, angustia e perda, mas só a paz eterna com o governante perfeito do universo, DEUS.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 5 - A menina que vendia fósforos.

7º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 4 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 0 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios.
Aforrar vale a pena?
A Primeira Vez.
O menino solitário.
A menina que vendia fósforos. --
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho.
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito.
Na beira do mar.
Bem, o amado.
Quando o ruim pode piorar.
Um grande amor, não morrerá jamais.
Momentos inesquecíveis que podem ser tri.
Cabrito Surrado.
A falta de visão corrompe a geração!
Extinta a lei que punia a vadiagem.
Lágrimas de agosto em fevereiro.

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 7,5

Comentário: Total relevância social do tema. Mais uma redação abordando o problema do abandono infantil. O desenvolvimento do tema é bastante coerente, apesar de muitos problemas com pontuação. As idéias foram variadas e razoavelmente originais, dando os louros da vitória nas mãos do próprio sofredor. A consistência de argumentação é bem forte, a menina estudou e assim progrediu para no final poder reverter a situação dela e de outras pessoas. Redação que demonstra enorme respeito aos direitos humanos. Aponta soluções para o problema, a começar pela fé. A divisão entre inicio, meio e fim está bem nítida. Não há encadeamento lógico entre parágrafos por ter sido escrita em um único. A lógica das construções frasais está muito prejudicada pela insuficiência de pontuação. O tipo de texto está de acordo com o pedido pelo Site do Escritor para enquadrar-se como sendo uma redação. 2431 caracteres. Bem acima do limite pedido. Uso da norma culta, porém, sem riqueza vocabular e com alguns problemas de precisão dos vocábulos (Sardento/sarnento). Nenhum problema quanto a ortografia, mas graves problemas quanto a pontuação. A acentuação também está boa. Também não vejo problemas quanto a concordância. Diversos problemas relacionados a regência. Alguns pontos problemáticos: "...fazendo esta a sobreviver..."; "...a única que amava..."; "necessitava de ter filhos". A impressão final é que faltou uma revisão após a digitação da redação. O texto é bom, mas foi bastante prejudicado por detalhes simples de resolver. Ficou corrido no final. Se melhor trabalhado, pode gerar um bom conto.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 8

Comentário: Uma "Interação" a historinha de minha Infância, A pequena Vendedora de fósforos de Hans Christian Andersen, com adaptação e mensagem da vida atual, vida que estamos vivenciando, com final feliz. Sucesso.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 6

Comentário: Frases longas e pontuação inadequada tornaram o texto frouxo.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 9

Comentário: Com certeza, com Jesus podemos tudo!!

Avaliado por Ana Elisa Albuquerque Lima - Valença RJ - Pontuação: 10

Sem Comentário.

Avaliado por J.H.Caspar - Canoas RS - Pontuação: 8

Comentário: História criativa, gostei muito das primeiras linhas. Tuas palavras foram muito sofisticadas. Parabéns!

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 5

Comentário: Palavras repetidas. Exposição das ocorrências em frases muito longas.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 5

Comentário: As redações poderiam ter um aspecto narrativo mais forte, mesmo com qualidade alguns escritores se empolgaram e ultrapassaram o limite estabelecido para o concurso.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 5

Comentário: Tema bem recorrente neste campeonato de poesias. Ocorreram muitos erros, gramaticais, ortográficos e de concordância e até na utilização incorreta de palavras. Fiquei na dúvida sobre a palavra \"sardento\". Mas bola pra frente, tudo faz parte de um bom aprendizado.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 5

Comentário: Essa redação é um plágio, e o plágio caracteriza crime a quem o pratica. Se ela fosse usada e apresentada como trabalho em uma faculdade, certamente seria invalidada e seu autor sofreria reprimenda. O verdadeiro autor desse conto chama-se: Hans Christian Andersen.

topo

REDAÇÃO 6

Título: Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho.

Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível.\" Quando era jovem e livre, sonhava em mudar o mundo. Na maturidade, descobri que o mundo não mudaria. Então resolvi transformar meu país. Mas antes de tudo teria que transformar a mim mesmo,então refleti qual o primeiro para ser um vencedor? Você é único e só há um igual a você. Sua vida pode ser o que quiser que ela seja. Viva os dias, apenas um de cada vez. Conte suas bênçãos, não seus problemas. Você os superará, venha o que vier. Dentro de você há muitas respostas. Compreenda, tenha coragem, seja forte. Para vencer na vida não é importante chegar em primeiro. Simplesmente é preciso chegar, levantando a cada vez que cair pelo caminho. Se não te esforças ao máximo, como saberás onde está o teu limite? Cada fracasso supõe um capítulo a mais na história da nossa vida e uma lição que nos ajuda a crescer. Não desanime com os fracassos. Aprenda com eles, e siga em frente.
Tome a tua vida em tuas mãos, e não entregue a direção dela a ninguém. Por mais que te amem, por mais que desejem, o teu bem, só você é capaz de sentir o que realmente sente, e aquilo que você passa de impressão para os outros, nem sempre corresponde ao que vai na sua alma. Quantas vezes você já sorriu para disfarçar uma lágrima teimosa? Quantas vezes quis gritar e sufocou o pranto? Quantas vezes quis sair correndo de algum lugar e ficou por educação, respeito ou medo? Criticar é fácil, mas usar o seu sapato ninguém quer, vestir as suas dores ninguém quer, saber dos seus problemas, só se for por curiosidade, por isso, não entregue a sua vida nas mãos de ninguém, nada de acreditar que sem essa ou aquela pessoa, você não vai viver… Se o seu sonho for pequeno, pequeno serão seus feitos, se o seu sonho for grande, prepare-se: grandes coisas terá que fazer. Jesus uma vez falou: \"Não tenham medida ao pedir, o Pai quer dar o reino\".
Ah, meu pai, se eu tivesse ouvido os teus conselhos, mas agora é tarde, é tarde demais. - Pesaroso, o jovem levantou os olhos e longe avistou o pequeno celeiro, era a única coisa que lhe restava. A passos lentos se dirigiu ate lá e, entrando, viu a forca e a placa empoeirada e disse: - Eu nunca segui as palavras do meu pai, não pude alegrá-lo quando estava vivo, mas pelo menos esta vez vou fazer a vontade dele, vou cumprir minha promessa, não me resta mais nada. Então subiu nos degraus e colocou a corda no pescoço e disse: - Ah! se eu tivesse uma nova chance ... E pulou, sentiu por um instante a corda apertar sua garganta, mas o braço da forca era oco e quebrou-se facilmente, o rapaz caiu no chão, e sobre ele caíram jóias, esmeraldas, pérolas, diamantes; A forca estava cheia de pedras preciosas, e um bilhete que dizia: - Essa é a sua nova chance. Eu te Amo muito. Seu Pai!

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 6 - Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho.

12º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 0 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 0 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios.
Aforrar vale a pena?
A Primeira Vez.
O menino solitário.
A menina que vendia fósforos.
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho. --
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito.
Na beira do mar.
Bem, o amado.
Quando o ruim pode piorar.
Um grande amor, não morrerá jamais.
Momentos inesquecíveis que podem ser tri.
Cabrito Surrado.
A falta de visão corrompe a geração!
Extinta a lei que punia a vadiagem.
Lágrimas de agosto em fevereiro.

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 7,25

Comentário: Relevância social tremenda, quantas pessoas se entregam ao menor sinal de dificuldades? O desenvolvimento do tema é coerente, apesar de em alguns momentos obrigar o leitor a voltar na leitura para reposicionar-se. Exposição de idéias variadas, mas nem tanto originais. A consistência de argumentação é forte, chega a usar o próprio suicídio como contra argumentação ao pensamento de entregar-se aos fatos. Demonstra respeito para com os direitos humanos, mas deve-se ter cuidado quando abordar o tema suicídio. Sei que as jóias que estavam na forca estão em sentido figurado, mas muita gente ainda entende as coisas ao pé da letra. Cuidado! As divisões em introdução, desenvolvimento e conclusão; estão suficientemente claras. Redação feita em parágrafo único, não apresentando encadeamento lógico de parágrafos. A lógica das construções frasais apresentam alguns problemas por ter assuntos que se atropelam, ou palavras omitidas, talvez por falha de digitação: "então refleti qual o primeiro para ser um vencedor?" ou "Você é único e só há um igual a você". Sem duvida nenhuma enquadra-se no que entendemos por redação. 2293 caracteres, mais uma que passou do limite pedido. Bom uso da norma culta. Há precisão vocabular. Há, também, certa riqueza vocabular. A ortografia está boa, assim como a pontuação, mas vejo problemas na acentuação: "dirigiu ate lá". Alguns problemas de concordância e regência. A impressão final é a de que a redação está um pouco confusa. No inicio parecia que ficaria na mesmice de muitas outras redações que abordaram o mesmo tema, mas houve uma inovação na segunda metade do texto, embora que de gosto duvidoso. O suicídio nunca deve ser colocado como solução, mesmo que no caso ele não tenha sido consumado.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 8

Comentário: Esta história já sabia dela, mas não me recordo onde a li. Mas traz uma mensagem muito boa.Um lenitivo de auto-ajuda a quem nunca teve cabeça, e quando pensou tudo perdido, o pai ainda lhe salva. Já vi este filminho. Muito bom relembrar este episódio, hoje em dia. Interessante.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 9

Comentário: Muito reflexivo, porém já o vi em uma outra situação. Bom!!

Avaliado por Ana Elisa Albuquerque Lima - Valença RJ - Pontuação: 10

Sem Comentário.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 7

Comentário: Texto bem estruturado. Louvor especial para o final.

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 7

Comentário: Quase desisti de ler pelas frases no meio. Achei que era de auto ajuda. O fim é interessante.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 5

Comentário: Posso até ter me enganado, mas no ímpeto da disputa alguns escritores não obedeceram o regulamento do site. Pelo menos essa redação tem mais de 15 linhas. No computo geral não posso dizer o número de palavras, espaços e acentuação, mas poucos estão obedecendo rigorosamente o estabelecido para o concurso.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 5

Comentário: Bastante positiva no aspecto filosófico. Porém na didática falhou na concordância e na pontuação. Tornou o texto cansativo, redundante. Erros graves que podem comprometer a essência da obra.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 6

Comentário: Redação com conteúdo agradável, em que a autora mostra-se equilibrada e resignada com o que a vida lhe reservara.

topo

REDAÇÃO 7

Título: Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito.

1 – Grande és Tu, Ó Deus, que vem em meios aos doentes; 2 – Não sentes vergonha e nem prediz, apenas tua casa o visita; 3 – Nas multidões dos livramentos, que antes mortos éramos, hoje é dia de vida; 4 – Sua dádiva e o seu conselheiro fazem de nós, corações quebrantados, pernas moídas, pelo poder de Ti, Ó meu Deus. 5 – Como o vento norte que arrasa sonhos dos pecadores, sopra em nós, mais de Ti, mais cura e liberdade, por Tua benignidade 6 – Das aflições e fissura que anda o insensato , que tema em correr para ficar inquieto e perturbado, assim o Senhor vem sem demora, restaura todo equilíbrio mostrando-nos as veredas da paz; 7- Ensina-nos a ter sonhos bons, mostre-nos caminhos de deleites; 8 – Permita a viver nas suas misericórdias infinitas, afastando-me do falso amigo; 9 – Revele Tua palavra, e servo fiel será aquele que negar suas vontades próprias; 10 – A entrega é total, não há perda nem ócio, nem há também para aqueles que dorme na preguiça; 11.
Assim que justificares, a esperança brotará como fonte manancial, que é Sua palavra; 12 – Em todo tempo és sempre Tu, ó Deus, que carrega o teu filho na angústia.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 7 - Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito.

14º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 0 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 0 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios.
Aforrar vale a pena?
A Primeira Vez.
O menino solitário.
A menina que vendia fósforos.
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho.
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito. --
Na beira do mar.
Bem, o amado.
Quando o ruim pode piorar.
Um grande amor, não morrerá jamais.
Momentos inesquecíveis que podem ser tri.
Cabrito Surrado.
A falta de visão corrompe a geração!
Extinta a lei que punia a vadiagem.
Lágrimas de agosto em fevereiro.

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 7,5

Comentário: A relevância social do tema é total. A ausência de Deus no coração das pessoas, têm causado enormes problemas sociais, a ponto de estarmos vendo um mundo caminhando rumo ao caos. O desenvolvimento da redação é coerente com o tema apresentado pelo autor. A exposição das ideias são variadas, embora não sejam originais. O louvor a Deus geralmente segue uma padronização, e este texto não é exceção. A argumentação é forte o suficiente para nos fazer parar para pensar ao final da leitura. Total respeito aos direitos humanos, a liberdade religiosa representada pela mais pura fé. A saída é Deus. Não há inicio, meio e fim neste texto. Não há encadeamento lógico entre os parágrafos, até porque, não é esta a idéia do texto. A lógica interna das frases está ótima. Não é uma redação, não nos moldes que entendemos ser uma. Até mesmo o uso de numeração das frases demonstra a ausência da organização estrutural adequada para uma redação tradicional. 920 caracteres. Está abaixo do limite mínimo pedido. Brilhante no aspecto do uso da norma culta; da riqueza e precisão vocabular. Ortografia, pontuação e acentuação muito boa. Nenhum problema relativo a concordância e regência. A impressão final é a de que é uma excelente oração, mas não se enquadra como uma redação. O escritor domina a língua portuguesa, é um dos melhores participantes neste quesito. Uma pena! A escolha de um outro texto provavelmente o colocaria entre os primeiros colocados.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 8

Comentário: Louvado Seja o Senhor. Amém. Reflexivo.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 7

Comentário: O texto é lindo, com palavras justapostas. O que aconselho ao escritor é a utilização de versos, como uma poesia.

Avaliado por Julio Cesar Theodoro - Avaré SP - Pontuação: 10

Comentário: Clássica e limpa.

Avaliado por Cleber Antonello - Avaré SP - Pontuação: --

Comentário: Eu gosto do meu trabalho. Olha esse poema é muito importante pra mim.

Avaliado por Elenice Vasconcellos - São Paulo SP - Pontuação: --

Comentário: Amei.

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 5

Comentário: Avaliação comprometida, pois em forma de versículos eu me sinto incapaz. A nota é pela forma de expor ideias.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 6

Comentário: Um misto de religião com vida pessoal. Desculpe-me, mas não consegui entender bem. Não acho que o escritor tenha atingido o objetivo, visto que redação tem que possuir mais conteúdo discritivo ou explorativo.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 6

Comentário: Verdadeiras palavras, mas um pouco fora do foco literário.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 5

Sem comentário.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 5

Comentário: O texto não me impressionou porque parece que suas frases foram extraídas de textos Bíblicos,não transmite compreensão, e há erro gramatical e de concordância, por exemplo, quando o autor fala de si, usa a palavra \"sarais\" erradamente ao invés de saraus.

topo

REDAÇÃO 8

Título: Na beira do mar.

Nas dunas de areia, perto daquela construção abandonada, existe alguém, com seus cães, pensando na vida, sente-se solitária. Quanto ao mar, bipolar como sempre, agora agitado, de repente fica mudo, os cães correm na areia, pulam dentro d\'água, cheios de sal, voltam para casa e se deitam no sofá, a dona Neuza não se importa em limpar a sujeira que fazem. Agora, deitada no quarto, escutando o som do mar, do vento, pensa no que preparar pro almoço, quem sabe uma massa, ou talvez um omelete. É isso mesmo, ela é humilde e sozinha, não se importa de dividir a comida com seu animais de estimação. Seus cães vivem como gente, deitam no sofá, escutam música, mudam de canal, jogam bola, tomam banho no chuveiro todas as noites antes da novela. É confortável, tanto pra eles, quanto para ela. Todas as manhãs, levanta, toma banho e vai tomar café.
Lennon é o cão mais velho, um border collie preto com branco, tem oito anos, gosta de ficar a manhã toda na beira do mar e à tarde joga bola com Jackson, que é um pastor alemão branco de seis anos. Dona Neuza se preocupa muito com a saúde dos seus cães. Ela vive na praia à trinta anos, depois que seu marido morreu, não voltou mais à cidade, gosta do lugar e se diverte com Lennon, Jackson e Whitney, que é uma yorkshire de três aninhos. Os animais são seus únicos companheiros, na hora da novela todos sentam no sofá, na hora do jantar ficam todos juntos na mesa, quando bate o sono, cada um vai pra sua cama. Na praia, quando está calor, é ótimo, Jackson adora ficar em frente a porta ao lado de fora com o vento no rosto. Para dona Neuza, na praia tudo parece ser possível. Quando seu marido ainda era vivo, caminhavam todas as manhãs na beira do mar, Lennon os acompanhava, momentos inesquecíveis. Fazem cinco anos, o casal sozinho, sem família, sem filhos, sem netos, sem amigos ou vizinhos.
Seu Emanoel faleceu com setenta e seis anos, sua esposa, inconformada, colocou-o deitado na construção abandonada, sentada ao lado do corpo, dizia: -Meu marido, obrigada por tudo, eu te prometo que vou cuidar bem da nossa casinha. Agora só me resta a saudade. Vá com deus! E chorando, enterrava o marido. E agora, cinco anos depois, dona Neuza está feliz, bem humorada, aprendeu finalmente a pescar. E de vestido longo, salto alto e joias, dona Neuza sentada à beira da praia com uma taça de vinho, comemora seus 70 anos.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 8 - Na beira do mar.

4º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 8 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 6 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios.
Aforrar vale a pena?
A Primeira Vez.
O menino solitário.
A menina que vendia fósforos. 02
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho.
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito.
Na beira do mar. --
Bem, o amado.
Quando o ruim pode piorar. 01
Um grande amor, não morrerá jamais.
Momentos inesquecíveis que podem ser tri.
Cabrito Surrado. 01
A falta de visão corrompe a geração!
Extinta a lei que punia a vadiagem. 01
Lágrimas de agosto em fevereiro. 02

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 8,75

Comentário: A relevância social deste tema tem relação com a dignidade humana. A personagem perdeu o marido quando ambos já estavam com idade avançada, nem por isso ela se desesperou, e manteve o cuidado com a vida, a casa e seus animais. O desenvolvimento do tema é absolutamente coerente. É uma redação repleta de idéias variadas e originais. Foi extraída dos sonhos de boa parte das pessoas, mas um tanto irreal para o padrão de vida brasileiro. Uma senhora de setenta e seis anos vivendo sozinha numa casa a beira mar é alvo fácil para assaltantes e vândalos, mesmo tendo três cachorros. Outro problema de consistência de argumentação diz respeito ao enterro do marido, houve registro de óbito? Com certeza é uma redação que respeita os direitos humanos. Prega a vida em liberdade. Quantos idosos são anualmente encarcerados em asilos pelo Brasil? As saídas para a resolução do problema da personagem foi a mais natural possível, agradecer por tudo que o companheiro fez, e seguir a vida da melhor maneira possível. A divisão entre introdução, desenvolvimento e conclusão; está perfeita. O autor se dá até o luxo da valer-se de flash back em alguns momentos, sem perder o curso da história. Muito bom! A lógica usada internamente nos parágrafos, e também na ligação entre eles, está perfeita. A organização estrutural o texto se encaixa no que entendemos por redação. 1940 caracteres, um pouco acima do limite máximo pedido. O autor fez uso da norma culta. Apresentou precisão vocabular, mas faltou um pouco de riqueza de palavras. Alguns erros de ortografia, sobretudo o excesso de uso dos "pra". A pontuação não apresentou problemas. Quanto a acentuação, algumas poucas falhas. Nada a dizer sobre concordância e regência, o texto está bem escrito. A impressão final é a de um texto bem poético, mesmo valendo-se da prosa em sua construção. Uma boa redação, sem dúvida alguma. O autor tem um estilo leve, porém, marcante. Parabéns.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 9

Comentário: Emocionante. Uma vida bem vivida. E a certeza que fica, logo todos estarão unidos novamente. Parabéns.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 7

Comentário: A ternura do texto compensa alguns senões.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 8

Comentário: Uma redação simples, porém transmite uma mensagem muito bela. À volta por cima, o entusiasmo e a vontade de viver fez com que a senhora retomasse a rotina normalmente. Apesar de alguns deslizes, como por exemplo, a ligação das frases, que o autor poderia ter feito, através de conjunções... Mas merece uma boa nota! Parabéns.

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 7

Comentário: Alguns erros de português. Começo e fim bom, o meio está um pouco confuso.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 8

Comentário: Gostei. Bastante interessante e explicativa.

Avaliado por S. T. - Canoas RS - Pontuação: --

Comentário: Gostei do jeito que ela trata os seus cachorros. Tão tranquila e despreocupada.

Avaliado por Vilma Freitas - Canoas RS - Pontuação: --

Comentário: Gostei muito da redação, o modo como a autora descreveu a vida da senhora e, o final é muito criativo.

Avaliado por Camila - Canoas RS - Pontuação: 10

Comentário: Adorei a história escrita, foi bem detalhista e bem complexa, real uma história comovente e de grande impacto emocional em relação aos animais de estimação e seu marido já falecido. Esta de parabéns a escritora, adorei.

Avaliado por Diogo - Torres RS - Pontuação: --

Comentário: Achei legal é como ficçao pelas ações dos cães, mas criativo e uma lição de superação.

Avaliado por Izanagi Maoh - Canoas RS - Pontuação: --

Comentário: As palavras dela para o marido foram lindas! E o modo como explica a vida senhora que tem sido calma, descansada, relaxada... História bonita! Parabéns!

Avaliado por Gisella Scharzingger - Torres RS - Pontuação: --

Comentário: Muita imaginação, uma boa história de vida. Solitária, mas ao mesmo tempo, feliz com a vida que leva.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 6

Comentário: Um tanto instropectiva, cadênciada ao ponto de se tornar insossa. Mas nada contra, há pessoas que apreciam bastante este estilo.

Avaliado por Marcos - Canoas RS - Pontuação: --

Comentário: Interessante. Muitos detalhes, não precisava de tanta explicação. Mas a história parece um pouco ficção com vida real. Está bom!

Avaliado por Carolina - Canoas RS - Pontuação: --

Comentário: Adorei a redação.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 5

Comentário: A redação tem enredo banal, que parece conversa de botequim entre frequentadores já de porre.

topo

REDAÇÃO 9

Título: Bem, o amado.

Tenho alguns amigos pra lá de esquisitos. Tal esquisitice, aliás, é tão somente o troco passado a mim em razão de minha crônica excentricidade. Excêntrico dum lado, esquisito do outro, seguimos, eu e os amigos, o dia a dia numa boa. Até porque se o cara não relevar certas coisinhas do amigo, amigo não é. Não é, amigo? Você não está abonando este texto sem futuro? Então! Existe condenável bizarrice que não me larga o pé. A danada prende-me os pés e priva-me de visitar os amigos. Apenas quando me dá na veneta é que lhes dirijo um olá, entenderam? Para você ter ideia, publiquei um livro, escrevi uma dedicatória ao amigo Canindé, mas cadê encontrá-lo a fim de lhe dar o mimo? Não sei onde o 365 (nº dele no Exército) está morando. Não nos vemos bote aí uns 15 anos. Ao contrário de mim e, porque não, de Canindé, há um amigo, comum, por sinal, que me visita todos os dias. Muitas vezes na hora mais inconveniente. Cinco horas da manhã e o cara, o Bem, já fica a me chamar.
Bem é como o azoreta do Jorge me trata. Não só a mim, mas também a todos que têm a graça de escutá-lo. Dia desses, discutimos feio. Tudo porque o magricela passou vários dias me chamando na base da cantoria. Com olhos remelados, levantei-me e lhe disse poucas e boas. Mas terminamos na paz, é evidente. Outra maluqueira do avoado é dizer que viu a gente. No mais das vezes, o amigo no lugar mais inusitado do mundo, crente que ninguém o reconheceu, aí ele chega de mansinho e diz que o viu, como se a criatura tivesse algo a lhe esconder. Agora mesmo, 10 e 12 da manhã, acabo de digitar a expressão “algo a lhe esconder”, o amarelado de sobrancelha branca pousa no portão da área, lembra-se do dia anterior, em que fui à praia, ri pra mim e tasca: BEM! BEM! TE-VI! TE-VI! BEM-TE-VI! BEM-TE-VI! Também quero bem a ti, tá?

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 9 - Bem, o amado.

3º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 8 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 28 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios. 02
Aforrar vale a pena? 02
A Primeira Vez. 02
O menino solitário. 02
A menina que vendia fósforos. 02
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho. 02
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito. 02
Na beira do mar. 02
Bem, o amado. --
Quando o ruim pode piorar. 02
Um grande amor, não morrerá jamais. 02
Momentos inesquecíveis que podem ser tri. 02
Cabrito Surrado. 02
A falta de visão corrompe a geração! 01
Extinta a lei que punia a vadiagem. 02
Lágrimas de agosto em fevereiro. 01

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 8,75

Comentário: A relevância social do tema apresentado pode ter como atributo a comunhão com a natureza, ou a solidão revelada pelo distanciamento dos amigos. O desenvolvimento do texto é "bem"coerente com o tema proposto. A exposição de ideias é variada e muito original. A primeira vista o texto parece ter uma argumentação confusa, mas ao final, e principalmente após uma segunda leitura, tudo passa a fazer sentido. Não é uma redação onde possa se aplicar o respeito aos direitos humanos. Retrata um momento intimo do cotidiano, não havendo interação com os demais atores sociais. Saídas e soluções para os problemas abordados? Ser amigo do Bem-te-vi, já que ele insiste tanto em estar por perto. A redação está perfeita no que diz respeito ao inicio, meio e fim. Bom encadeamento lógico das frases, embora tenha sido feita em parágrafo único. A organização estrutural do texto é a pedida, uma redação clássica, quase um retrato. 1461 caracteres, perfeitamente enquadrada nos limites pedidos. Uso da norma culta, precisão vocabular e uma certa riqueza "regionalizada" na escolha das palavras. Alguns "pra", que são pedras nos sapatos da maioria dos escritores. Pontuação, acentuação, concordância e regência; sem ocorrências negativas a serem comentadas. A impressão final é a que estamos diante de uma redação bem escrita, com boas pitadas de criatividade, mas um pouco confusa em alguns momentos. Exige uma ou mais releituras para que se compreenda toda a abrangência de significados do texto. Entendo que o autor tem grande potencial, mas deve pensar que o leitor moderno é mais imediatista, não gosta de reler, e costuma abandonar textos ao menos sinal de dificuldade de entendimento.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 8

Comentário: Interessante. Prende a atenção do leitor e com certa ponta de bom humor. Parabéns.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 7

Comentário: Uma homenagem ao amigo! Bom texto...

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 7

Comentário: Interessante. Repete muitas palavras, talvez tentando dar ênfase ao assunto, mas que no conjunto não ficou bom. Faltou uma conexão com algumas frases do meio.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 6

Comentário: A maioria resolveu contar histórias. O que o escritor jamais deve demonstrar e desconhecimento do assunto e afirmar num concurso que não é escritor. Se o próprio site está mostrando a sua finalidade. Achei infeliz a colocação do amigo.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 7

Comentário: O Tião tá no caminho certo, deixa de ser fiscal e vai escrever. Gostei do seu texto, bastante objetivo e extrovertido.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: --

Comentário: Olá, pessoal, Quero deixar registrado o prazer de ter participado deste evento literário. Foi muito legal a troca de opinião acerca de nossos textos. Algumas mais enfáticas, outras mais amenas. Mas, enfáticas ou amenas, o tanto do quanto e o quanto do tanto foram norteados pelo espírito democrático do bom debate. Beleza, gente! Congratulo-me com todos e antecipo os parabéns aos premiados. Somos 16 cachaceiros, porque escrever é uma cachaça, penso eu. A gente escreve um texto, depois outro, lá na frente mais um e pimba. Caímos no vício. De mais a mais quando nos abancamos num boteco do nível do Site do Escritor, né não? Vocês são demais, caras! Autênticos trabalhadores e... Chapados pinguços literários. Muitíssimo bem bolado essa forma de seleção, galera. Não sei meus 15 colegas, mas eu, revelo-lhes agora, estou com o chapéu embaixo do sovaco, de pé, batendo palmas. Bom, espero que ninguém me leve a mal por causa da cachachuda brincadeira. Vali-me de meu exemplo e, inadvertidamente, talvez, estendi-o a vocês. Viciei-me mesmo, meus nobres, no fim do ano passado. Peço-lhes só um minutinho. Foi assim, ó: escrevia certas besteiras e as mandava, por imeio, para os colegas. Engoli corda dos azoretas, falei com o Dr. Gugo e criei um blogue (AQUI) a fim de facilitar a comunicação, entenderam? Então! De uma prosa por mês, passei pra duas. Hoje, fico de cama se passar uma semana sem escrever alguma idiotice. É isso. Parabéns pra todos nós. Especialmente para a patota do site. Valeu! Ah, acabei de redigir uma prosa que tem alguma coisa a ver com avaliação literária. Se quiserem vê-la, e com a devida vênia do SE, cliquem RINHA LITERÁRIA. Afinal, pertencemos a uma mesma confraria, não é verdade? Abraços (meu e do meu blogue, o Pocilga de Ouro) Té mais.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 6

Comentário: Redação bem humorada e agradável de se ler, embora curta, é na verdade uma alegre e divertida crônica que enfoca a simpatia do autor à barulhenta e bela ave, o bem-te-vi.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: --

Comentário: Olá, meus nobres, Com intuito esclarecedor - e de contribuição ao site - peço-lhes dois minutinhos para o seguinte comentário. Nada a ver contra a pontuação, mas que talvez ajude na percepção de novas avaliações. Refiro-me à questão dos parágrafos. No mais das vezes, o site diz que a redação avaliada foi escrita em parágrafo único. Não falo pela dos colegas, mas a minha tem vários parágrafos. Como a digitei no word, Acho que a disfunção ocorreu no copiar/colar. Coisas da informática, entendo. Um abraço, Tião.

topo

REDAÇÃO 10

Título: Quando o ruim pode piorar.

Estava eu lá. Primeira da fila, atrás de mim havia mais umas quinze pessoas, isto até onde eu podia ver. Duas raspadinhas e três picolés ,saldo negativo por conta da menopausa que elevara a temperatura em pelo menos uns cinco graus. Veio vindo o sujeito, ofegante tentando colocar o jaleco. ___Bom dia?E já foi avançando a minha frente me empurrando educadamente com o braço esquerdo. Se é que se pode empurrar alguém com alguma educação. ___Meio dia e sete. Depois do meio dia já é boa tarde. ___Me desculpe. Com licença ???__Respondeu o homem agora me olhando nos olhos com certa firmeza. Que eu retruquei é claro. ___Não tem licença nenhuma vá lá atrás e pegue a fila como todo mundo. ___Por favor, eu preciso entrar. Disse agora tentando ser amigável. ___Ta bom. O resto da fila é só um monte de manequins guardando lugar para o belezão. ___Senhora; Acredito que não esta me entendendo. ___Sou pobre sim, mas não sou ignorante.
Se eu estou descabelada, com as pernas inchadas e com uma puta fome é porque eu cheguei aqui às onze e meia da manhã e agora um bonitão mal educado quer ter uma consulta na minha frente. E tem mais se bater mais uma vez com esta maleta na minha bunda além de levar uns bons tapas, ainda ti processo por assedio. A minha costa se instalou um pequeno murmúrio,uma criança chorou,pude ouvir alguns cochichos e gargalhadas espremidas por entre os dedos. ___Minha senhora esta havendo um grande erro. Estou atrasado?Sim!!!!__Sete minutos, agora quase doze minutos. Falou o homem olhando compressa para o relógio. ___Mas é que eu sou o novo médico do Posto de Saúde e me perdi foi só por isto que me atrasei. ___Agora por gentileza poderia me dar licença??? ___Não. Você continua atrasado e ainda perdido, esta fila é para o Terreiro do Pai Joaquim, o Posto de Saúde é descendo a avenida entrando a primeira à esquerda e a segunda à direita.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 10 - Quando o ruim pode piorar.

8º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 3 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 27 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios. 02
Aforrar vale a pena? 02
A Primeira Vez. 02
O menino solitário. 02
A menina que vendia fósforos. 02
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho. 02
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito. 01
Na beira do mar. 02
Bem, o amado. 02
Quando o ruim pode piorar. --
Um grande amor, não morrerá jamais. 01
Momentos inesquecíveis que podem ser tri. 01
Cabrito Surrado. 02
A falta de visão corrompe a geração! 02
Extinta a lei que punia a vadiagem. 02
Lágrimas de agosto em fevereiro. 02

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 7

Comentário: Não vislumbro relevância social para este tema. É apenas uma situação banal do cotidiano. O desenvolvimento do texto está coerente com o tema. Há exposição de idéias variadas, porem, sem muita criatividade. A consistência de argumentação é boa, os personagens estão bem demarcados e seus pontos de vista são coerentes. Uma redação que dá a impressão de certa falta de preocupação com o respeito aos direitos humanos. Todos os personagens parecem egoístas demais, daí surge o conflito. A solução para o conflito ocorre naturalmente, ainda bem, senão teríamos um daqueles "barracos" de novela. Introdução, desenvolvimento e conclusão; bem delineados. O encadeamento lógico dos parágrafos e a constituição interna deles tiveram prejuízo por conta de algumas falhas de pontuação e erros gramaticais. 1539 caracteres, absolutamente dentro dos limites estabelecidos. O uso da norma culta não foi dos melhores, mesmo considerando que o linguajar deveria ser popular. É certo que o povo fala palavrão, mas não é tão comum assim como é posto na literatura e principalmente nos filmes nacionais. Alguns problemas quanto a precisão vocabular; "compressa". Até por tentar ser popular, não há riqueza vocabular neste texto. Não há erros ortográficos, embora a pontuação esteja ruim, assim como a acentuação. A causa destes erros origina-se da pressa em digitar e a falta de revisão do texto, um mal após a inclusão da informática e, sobretudo da Internet, em nossas vidas. A pressa é realmente inimiga da perfeição. Alguns problemas também na concordância; "atrás de mim havia mais umas quinze". Nada constatado quanto a problemas com regência nominal e verbal. A impressão final é a de que o texto pretendia ser bem humorado, mas não foi esta o resultado obtido. O autor deve tomar cuidado com o linguajar de baixo calão. Ele é útil em certas situações, mas não deve ser usado sem uma motivação lógica e sim com um objetivo pré determinado. Alguns detalhes também não ficaram bons, como "cheguei aqui às onze e meia da manhã", e a "fila é para o Terreiro do Pai Joaquim".

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 8

Comentário: E não poderia deixar de ser a vida real de pessoas, que julgam antes de ponderar e avaliar as situações. Um Bom diálogo resolveria tudo, mas ultimamente alguns querem resolver na violência dos fatos, ou até mesmo brutalmente matar por nada. Parabéns.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 7

Comentário: Bem bolado o enredo.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 7

Comentário: Bom!

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 9

Comentário: Gostei dessa. Deveria dar 10, mas tem erros de português. Muito criativa, ficção ou realidade achei bem criativa.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 5

Comentário: As ideias são boas, no entanto o escritor cometeu deslizes que se a redação fizesse parte de uma nota de disciplina, com certeza perderia muitos pontos, visto que não devemos usar pontuação repetidas em redações. Tais como!!!!!!????? Entre outras.

Avaliado por J.H.Caspar - Canoas RS - Pontuação: 7

Sem comentário.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 5

Comentário: Texto que descreve com bom humor o cotidiano de pessoas humildes.

topo

REDAÇÃO 11

Título: Um grande amor, não morrerá jamais.

Em meu quarto, nele permaneço mas tudo que faço és tu que me vem na mente. Estas tatuado na minha alma, coisa já de outras vidas, vidas passadas. Onde quer que eu vá levo, tua imagem, só ela vejo e sinto-o presente, vivo em minhas entranhas que gritam, chamam por ti a cada segundo, venha para mim, venha ficar comigo, mas eu sei viemos separados para resgates e futuramente seguiremos livres de qualquer motivo que hoje nos impeçam. Um Grande Amor, o meu e teu, está seguro, guardado, queima na Pira do Fogo Eterno. Está gravado nossos nomes na estrela mais dourada, nas vias lácteas,no manto azul que nos conduz a Lua. Nossa luz já unidas em uma só, Ilumina as entranhas do Universo parte que fomos criados com este Mundo cheio de amor, berço, ninho para nosso entrelaço. Ah, meu Doce Amor... És meu Poema, meu Tema, meu Lema de Norte ao Sul uma faixa das nuvens mostram as magias e fantasias deste amor que vive de sonhos, almejos e desejos.
De beijos flutuantes que ultrapassam qualquer barreira, a do Som, da Luz, das Paralelas, para te ver nas noites, nas madrugadas em teus sonhos, estou ai presente. És minhas rimas, que condiz pois ter a ti, comigo sei que um dia além de poesia seremos novamente mais e mais que Afrodite e Morpheu. Estaremos unidos pela libertação de nossas missões para seguirmos juntos Além do Arco Íris. Saiba Amado, meu senhor amante, que........ Um Grande Amor abençoado pelo Divino, Não Morrerá Jamais!

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 11 - Um grande amor, não morrerá jamais.

5º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 6 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 30 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios. 02
Aforrar vale a pena? 02
A Primeira Vez. 02
O menino solitário. 02
A menina que vendia fósforos. 02
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho. 02
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito. 02
Na beira do mar. 02
Bem, o amado. 02
Quando o ruim pode piorar. 02
Um grande amor, não morrerá jamais. --
Momentos inesquecíveis que podem ser tri. 02
Cabrito Surrado. 02
A falta de visão corrompe a geração! 02
Extinta a lei que punia a vadiagem. 02
Lágrimas de agosto em fevereiro. 02

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 8,25

Comentário: A relevância social do tema é o amor, e o que é mais relevante que o amor? O desenvolvimento do texto é bem coerente com o tema. A exposição de idéias é variada, embora não original. Muitos já falaram sobre um amor que não deu certo, mas como Renato Russo certa vez revelou: "quais as palavras que nunca são ditas?". A argumentação é forte, remete à eternidade. Não aponta saída ou soluções para a dificuldade vivida, mas expõe a crença na providencia divina. O amor é imortal, e sendo assim, em algum momento ele manifestará seu poder em total amplitude. Se não é possível hoje, certamente será amanhã. Embora seja visível ser uma poesia travestida de prosa, esta redação preserva as características de inicio, meio e fim. A lógica das construções frasais atende os requisitos da prosa, embora em alguns momentos, através de frases curtas, o texto se encaminhe para o rumo da mais pura poesia. 1182 caracteres, não atingiu o mínimo pedido, mais uma característica da poesia. Ao contrário do proseador, que geralmente estoura o limite máximo, o poeta pena para alcançar o limite mínimo da redação. Uso da norma culta, precisão e riqueza vocabular. O poeta geralmente prima pela riqueza vocabular, e este autor não foge a regra. Infelizmente, o poeta também sofre com a pontuação. Não há erros de ortografia. "seguiremos livres de qualquer motivo que hoje nos impeçam", "Estas tatuado na minha alma", " Um Grande Amor, o meu e teu"... São alguns exemplos de problemas, causados principalmente pelo costume de escrever poesia. A impressão final é a de que estamos diante do resultado de um poeta daqueles típicos, tentando se passar por escritor de prosa. Ficou bonito. Parabéns!

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: --

Comentário: Lógico, não vou me avaliar, não seria lógico ao meu ver. Também não me daria 10, pois gosto não se discute. Mas esta redação, saliento que faz parte de meu acervo de quase 7000 matérias e ele tem sido bem apreciado pelos leitores do Recanto das Letras. Fico grata de ter sido convidada e aceita minha participação.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 7

Comentário: Texto bem escrito, embora o título pudesse ser melhorado, acho.

Avaliado por Ana Elisa Albuquerque Lima - Valença RJ - Pontuação: 10

Sem Comentário.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 10

Comentário: Texto magnifico. Mesmo sendo \"concorrente\", devo admitir que seu texto é uma obra de arte. Sábias palavras: \"És meu Poema, meu Tema, meu Lema de Norte ao Sul uma faixa das nuvens mostram as magias e fantasias deste amor...\". Parabéns!

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 8

Comentário: Bonito. Escrever na segunda pessoa é complicado. Faltou revisão nas concordâncias.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 8

Comentário: Eu iria auferir uma nota melhor, mas quando visualizei os erros de concordância mudei de opinião. Veja: \"Nossa luz já unidas em uma só, Ilumina as entranhas do Universo parte que fomos criados com este Mundo cheio de amor, berço, ninho para nosso entrelaço. Ah, meu Doce Amor... És meu Poema, meu Tema, meu Lema de Norte ao Sul uma faixa das nuvens mostram as magias e fantasias deste amor que vive de sonhos, almejos e desejos\". O certo seria: Nossa luz já unida e não unidas. Uma faixa das nuvens mostra e não mostram.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 6

Sem comentário.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 6

Comentário: Poema de amor bem escrito sem erros de concordância e pontuação.

topo

REDAÇÃO 12

Título: Momentos inesquecíveis que podem ser tri.

As pessoas veem a concretização da felicidade unicamente no amor e amor conjugal. É assim mesmo? Se o amor é a essência do ser humano e a felicidade se concretiza no casamento, quem está casado está bem e de acordo com o esperado. O exercício de amar é sublime, pois permite o perdão, o bem, a amizade, a motivação, o conhecer o que e quem não se conhecia. Exercício em que há necessidade de mais de uma pessoa. E que traz momentos inesquecíveis. Momentos inesquecíveis que podem ser tristes quando acaba a idealização, pois ela é parte desse exercício. É frustrante e depressivo o fim de um relacionamento – casamento, pois com ele vai a felicidade e a imagem pintada e decorada dos envolvidos perde a cor e adornos. Felicidade idealizada e condicionada ao casamento faz da vida uma prisão. A busca torna-se limitada. E o mundo, e as outras coisas? Buscar no amor conjugal a concretização da felicidade pode ser bom quando é suprido o desejo de ter e viver o que só é possível a dois.
Mas pode ser ruim quando a felicidade se limita ao casamento.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 12 - Momentos inesquecíveis que podem ser tri.

10º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 1 ponto

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 6 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios.
Aforrar vale a pena?
A Primeira Vez. 01
O menino solitário. 01
A menina que vendia fósforos. 01
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho. 01
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito.
Na beira do mar.
Bem, o amado.
Quando o ruim pode piorar.
Um grande amor, não morrerá jamais. 01
Momentos inesquecíveis que podem ser tri. --
Cabrito Surrado.
A falta de visão corrompe a geração!
Extinta a lei que punia a vadiagem.
Lágrimas de agosto em fevereiro. 01

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 8,25

Comentário: O tema apresentado é o amor e suas diversas formas. Critica ao casamento como única forma de relacionamento. Bem interessante este tema, é capaz de provocar polemica. Só questiono o título da redação, parece estar incompleto, mas a autora não pediu correção, então... O desenvolvimento é bastante coerente com o tema, por alguns momentos pareceu que o autor se perderia, em outros pareceu um pouco confuso, mas no todo se saiu bem. Gostei da originalidade de idéias, não é um assunto muito abordado. Em nossa sociedade, ainda prevalece um certo tabu em relação as variáveis da manifestação do amor. Houve consistência na argumentação, embora tenham sido concisas em demasia. Respeito total aos direitos humanos; e aponta a saída, que viva o amor incondicional; que morra o amor de fachada. Texto com definição nítida de inicio, meio e fim. Em alguns momentos a lógica frasal parece frágil, como em "a concretização da felicidade unicamente no amor e amor conjugal". É, sem dúvida, um texto com estrutura de redação. 859 caracteres, bem abaixo do limite mínimo pedido, fica claro que o autor poderia ter incrementado bastante a redação. Ela seria candidata a ficar nas primeiras posições, faltou um pouco de capricho ao autor. Houve o uso da norma culta, e a precisão vocabular esteve presente. O que faltou foi a riqueza, palavras repetitivas e usuais na comunicação oral prevaleceram. A ortografia pareceu boa. A pontuação pecou em alguns momentos, a falta de virgula atrapalhou o entendimento em alguns momentos. A acentuação também pareceu boa. Concordância, na primeira leitura parecia ter problemas, "podem/acaba", mas, lendo mais lentamente... Está bom, assim como a regência. A impressão final é a de que o autor fez uma redação para "passar", até com uma certa preguiça. Uma pena, pois se tratava de um bom tema.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 9

Comentário: Olá Boa Noite, poetisa escritora. Concordo com tua crônica.O amor de uma união conjugal, ele complementa as metades que se uniram, como Almas Gêmeas. Mas o amor é um todo de tudo e de todos. A Essência vem para espalhar este amor Incondicional, Universal, que é o alicerce, a base da vida do ser humano. Gostei muito de teu texto. Parabéns.Sucesso. Bjus\\Flor*

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 8

Comentário: O amor deve ser com o próximo e não somente com que é \"fácil\" amar. Concordo com o ponto de vista do autor. Parabéns!

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 6

Comentário: Faltou inspiração. Poderia ter desenvolvido um pouco mais.

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 6

Comentário: Faltou meio.

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 6

Comentário: Concordo com o contexto, mas entendo que o desenvolvimento precisa de mais linhas.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 7

Sem comentário.

Avaliado por Jfranck - São Paulo SP - Pontuação: 10

Comentário: Direta e clara. Bem escrita, tratando de um tema complexo, de maneira objetiva. Por isso e pela sincronia das palavras e a coerencia do pensamento subjetivo colocado é boa e a autora tem um futuro se seguir esse estilo.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 5

Comentário: Texto sem erros gramaticais e de concordância, porem o conteúdo não me prende.

topo

REDAÇÃO 13

Título: Cabrito Surrado.

O bom de quando se é pequena, é que os dias são enormes e as horas são gordas. Não lembro a que horas eu acordava, só sei que não podia dormir tarde, e quando saía da cama sempre estava frio. No Ano Novo, meu avô convidava amigos, vizinhos. A casa ficava cheia de gente feliz. Tinha comida árabe,brasileira e italiana, pois a mistura de etnias era enorme. Quando a mesa ficava pronta, ninguém sabia por onde começar. Na cozinha as mulheres formiguinhas trabalhavam. Era conversa, risada, fofoca e muito serviço. Meu avô fazia o tradicional “Cabrito surrado”, era uma especialidade dele. Ele lavava o cabrito com uma escova, colocava em uma grande bacia e com as suas enormes mãos, esfregava aquele tempero esverdeado e cheiroso, por dentro e por fora, tomando uma cervejinha em um copo de vidro, todo ensebado pelo tempero. Ele tinha uma cadeira pitoca, uma antiga cadeira de palha com as pernas cortadas mais curtas para ficar na altura dos espetos.
Motivo? Assim ele podia cuidar da carne sem precisar “se levantar”. Estava pronta a churrasqueira do Véio Miguel: um buraco na terra, uns bancos, a cadeira pitoca, a cerveja, o tempero. O grande serviço dele, e o mais importante, era SURRAR o cabrito com uma vassoura de temperos. Ele deixava a bacia de temperos bem ao lado do buraco na terra e a vassoura dentro dela. Era só sentar na cadeira pitoca, encher o copo de cerveja, molhar a vassoura no tempero e surrar o cabrito com ela. Isso a manhã inteira. Molhava a vassoura no molho e surrava o cabrito para ele não secar e para não secar a boca de tanta conversa, tomava um gole de cerveja. Eu adorava aquela cena! Cada vez que ele surrava o cabrito, espirrava molho, o fogo chorava, a fumaça levantava, o cheirinho se espalhava. Que delícia! Cabrito surrado com a família! Deliciosas lembranças. Nem lembro se eu comia. Só lembro da felicidade. Esta é a melhor parte da memória da gente.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 13 - Cabrito Surrado.

2º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 9 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 30 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios. 02
Aforrar vale a pena? 02
A Primeira Vez. 02
O menino solitário. 02
A menina que vendia fósforos. 02
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho. 02
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito. 02
Na beira do mar. 02
Bem, o amado. 02
Quando o ruim pode piorar. 02
Um grande amor, não morrerá jamais. 02
Momentos inesquecíveis que podem ser tri. 02
Cabrito Surrado. --
A falta de visão corrompe a geração! 02
Extinta a lei que punia a vadiagem. 02
Lágrimas de agosto em fevereiro. 02

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 9,5

Comentário: Excelente redação. A relevância do tema apresentado? A vida em família... Hoje em dia, coisa rara. O desenvolvimento do texto é totalmente coerente com o tema. Exposição de idéias variadas, embora nem tanto original, no que diz respeito a ser um texto tratando sobre a importância da família, quanto ao cabrito surrado... Isso é novo para mim, vou pesquisar se tem algum restaurante que faz. A argumentação é ótima. Total respeito aos direitos humanos, diria ser um texto em busca do resgate de um deles. Não aponta solução para a questão familiar, nem é este o seu objetivo, mas a resposta está intrínseca no conceito de pensamento coletivo tratado em diversos momentos. Perfeita na sua montagem; introdução, desenvolvimento e conclusão estão bastante claras. O encadeamento lógico nas frases é notável. A estrutura é clássica para uma redação, retratar uma cena. 1561 caracteres, absolutamente dentro dos limites solicitados. Uso de norma culta, precisão e riqueza vocabular. Nada a dizer sobre ortografia e acentuação. Alguns pequenos deslizes na pontuação, provavelmente por falha de digitação. Concordância e regência, também sem problemas. A impressão final é a de que acabamos de ler um texto completo, se for estendido pode prejudicar o conjunto, se encolhido, não passará a amplitude necessária para o entendimento do contexto. Alguns poderão argumentar que é um texto alienado e até certo ponto egoísta, talvez, porque no Brasil, virou motivo de vergonha sentir felicidade. Parabéns ao autor, como escrevi no inicio, é sem dúvida, uma excelente redação.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 5

Comentário: Texto com boa grafia e vocabulário porem com trechos muito repetitivos.

Avaliado por Fla - Curitiba PR - Pontuação: --

Comentário: Adorei a escrita.

Avaliado por Isabela Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: --

Comentário: Eu gosto de historias engraçadas e curtinhas.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 9

Comentário: Parabéns Cronista, lendo teu texto enchi minha boca de água, senti até o cheirinho deste cabrito surrado. Mas o que lembrei mesmo através dele, era o Cabrito no Vinho que na casa de meu avô faziam. Valeu por compartilhar comigo. Recordar é viver. Sucesso Amiga. Bjus\\Flor*

Avaliado por Flavia - Curitiba PR - Pontuação: --

Comentário: Muito legal, adorei!

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 9

Comentário: Pense num cabrito saboroso! Não conhecia o fazer culinário, tampouco o literário. Fiquei com a boca cheia d\'água. Dos dois, é claro. Até porque, nobre cronista, sou carneiro. Um abraço, Tião Carneiro.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 7

Comentário: Expressões vernaculares devem ser evitadas em redação, por exemplo, trocar a palavra velho por véio. E outras que surgem no desenrolar da redação.

Avaliado por Tadeu Antonio Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: --

Comentário: Texto excepcionalmente redigido onde a autora retrata momento marcante de sua infancia com muita clareza. Pude sentir o aroma do tempero e o cheiro da fumaça. Parabéns.

Avaliado por Carmem Sueli Pavelski da Costa - Curitiba PR - Pontuação: 10

Comentário: Adoro o jeito descontraído e divertido que a escritora usa em seus contos e narrativas e esse, em particular, nos remete a uma infância que parece tão remota quanto impossível, uma vez que hoje, nossos netos, em sua grande maioria, não terão lembranças tão pitorescas quanto bizarras pra contar, num futuro, que para eles, ainda é uma coisa muito longínqua e inimaginável.

Avaliado por Miguel Elias - Curitiba PR - Pontuação: --

Comentário: Bela redação, até parece um conto...

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 9

Comentário: Um texto com um alto grau descritivo. Lembrar da infância é maravilhoso, ainda mais com momentos felizes entre família. Parabéns!

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 10

Comentário: Um dos melhores textos que li dos disponíveis deste seleto campeonato. Um texto muito bem feito, bem elaborado, que nos convida a uma viagem imaginária. À mim é esta a função da poesia, do conto, da crônica ou qualquer outra denominação dada pela literatura. Flui deliciosamente. Parabéns.

Avaliado por J.H.Caspar - Canoas RS - Pontuação: 7

Sem comentário.

Avaliado por Irene Panstein - Curitiba PR - Pontuação: --

Comentário: Redação simples direta e objetiva. Gostosa de se ler, fácil de entender e que prende a atenção do leitor.

Avaliado por Rosana Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: --

Comentário: Esse conto retrata com muita fluencia e de forma poética as lembranças da autora. Ao le-lo, podemos sentir o calor daquele momento e o aconchego da família na memória de uma pessoa! Parabéns!

Avaliado por Roney - Curitiba PR - Pontuação: --

Comentário: Parabéns Neyd.

Avaliado por Suelen - Colombo PR - Pontuação: --

Comentário: Legal!

Avaliado por Luiza - Curitiba PR - Pontuação: --

Comentário: Muito bom, parabéns!

Avaliado por Sônia Ronzelli - Curitiba PR - Pontuação: --

Comentário: Texto delicioso! Narrativa perfeita de uma infância feliz do ponto de vista de quem viveu plenamente. Parabéns!

topo

REDAÇÃO 14

Título: A falta de visão corrompe a geração!

Há de se perguntar como uma afirmação tão trivial, possa ter alguma espécie de significado real. Mas tem. Foi lé em alguma parte da Bíblia que a li e passei a meditar sobre ela. Já escrevi sobre ela anteriormente, mas, estou escrevendo diretamente esta segunda observação, baseada em minha experiência e resignação. Resignação? Conclui que tenho muito pouco dela. Aliás, acho que nenhum ser humano a tem e se a tem não compreende. Porque ela está no limiar da luta e da inércia. Porém, tudo que acontece é verdade é pela falta de uma visão plena que deveria ser dada aos homens, mas, ao que tudo indica somente alguns pouquíssimos seres vieram com ela: Jesus com certeza, um pouco mais atrás, Sócrates, este um pouco fora do campo religioso. Em outro campo de atuação apesar dos defeitos, Alexandre que sob o poder das armas subjugou povos, mas, procurou respeitá-los e outros tantos poucos em nossos Séculos.
Em parte o cega o homem completamente, além do ódio segundo a música: é o poder. Veja-se, por exemplo, o (podemos chamá-lo assim) estadista francês, Robespierre, que de idealista, basicamente enlouqueceu e passou a exigir ser tratado como um Deus. Então, a falta de visão, e o REAL entendimento da situação é sim o corruptor da geração!

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 14 - A falta de visão corrompe a geração!

16º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 0 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 9 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios. 03
Aforrar vale a pena? 02
A Primeira Vez.
O menino solitário. 02
A menina que vendia fósforos.
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho.
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito.
Na beira do mar.
Bem, o amado.
Quando o ruim pode piorar.
Um grande amor, não morrerá jamais.
Momentos inesquecíveis que podem ser tri. 02
Cabrito Surrado.
A falta de visão corrompe a geração! --
Extinta a lei que punia a vadiagem.
Lágrimas de agosto em fevereiro.

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 6,5

Comentário: A relevância social do tema é de fundamental importância para o progresso da humanidade. A noção correta de nossa realidade é fundamental, mas como o próprio autor ressalta, é um predicado reservado para alguns poucos de nós, e completo o raciocínio afirmando que entre este poucos, são minoria aqueles, que tendo uma visão privilegiada do estado das coisas, se predispõe a tentar mudá-las. O desenvolvimento do tema deixa a desejar, em alguns momentos, por andar em circulo, em outros, atropela os assuntos. A exposição de idéias também não é variada, nem original. Com tudo isso, a consistência de argumentação perde a força. Quanto ao respeito aos direitos humanos, fica a dúvida quando coloca entre os grandes vultos da história, personagens duvidosos do ponto de vista humanitário. Não apresenta soluções claras para o dilema apresentado. É um texto, que apesar de confuso, apresenta inicio, meio e fim. Assim como há lógica nas construções frasais. É estruturada conforme pedido para uma redação. 1034 caracteres, um pouco abaixo do limite mínimo pedido. O assunto pedia muito mais conversa. O autor usa a norma culta, porém demonstra pobreza no repertório vocabular, além de algumas palavras trocadas ou digitadas erroneamente. Repetições de palavras a ponto de fazer com que a frase perca o sentido. Erros de ortografia, pontuação e acentuação. Problemas com concordância e regência formam a conseqüência dos diversos erros anteriormente descritos. "Foi lé em alguma parte da Bíblia que a li e passei a meditar sobre ela"; está horrível! A impressão final é triste, o autor quis um tema de vulto, mas tratou-o como se fosse uma conversa de botequim após o terceiro trago. É, sem dúvida, um escritor que gosta de literatura, filosofia, história, política, etc. Comece a escrever sobre pequenos problemas. Depois de escrever, releia e corrija. Pense, escreva, corrija, reescreva, analise... E comece tudo de novo se precisar. Você verá como irá melhorar e seus textos vão realmente refletir o seu grande conhecimento, que transparece no texto apesar de tantos problemas.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 5

Comentário: Redação que diz muito, explica pouco e em minha opinião tem uma conclusão incompreensível.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 8

Comentário: Ai que está o X da questão, o homem veio para terra achando-se Deus, e cada um passou a ser o que queria ser e não seguiram os preceitos de Jesus. Portanto todos os que se julgaram grandes nada foram. Dizem melhor nem saber-se nada, pois muitos não aguentariam o peso de suas cruzes. Parabéns. Sucesso. Bjus\\Flor*

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 6

Sem Comentário.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 7

Comentário: Erro de digitação em \"Foi lé em alguma parte da Bíblia \", no caso \"LÁ\". De forma geral o texto está segmentado no ponto de vista do autor e não há uma referência bíblica tampouco algum artigo científico. Por se tratar de um artigo de opinião/dissertação, vale uma nota razoável! Parabéns.

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 8

Comentário: Acho que houve um deslize na seguinte frase - Seria Lê ou ler? Foi lé em alguma parte da Bíblia que a li e passei a meditar sobre ela. Não se deve repetir a mesma palavra várias vezes, é desaconselhavel.

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 4

Comentário: Não entendi. Apesar das boas construções de frases.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 6

Comentário: Bastante filosófico e complexo. A grande quantidade de erros impossibilitou uma melhor compreensão. Mas todo passo serve de lição.

topo

REDAÇÃO 15

Título: Extinta a lei que punia a vadiagem.

A Câmara Federal aprovou no dia 08 de agosto de 2012 o fim da lei que criminalizava a “vadiagem”, termo pejorativo dirigido ao cidadão desempregado e sem ocupação fixa que se entregava ao ócio. Essa lei, que sob o número 844, de 10 de outubro de 1902, oriunda do projeto do deputado Candido Mota, autorizava o Governo do Estado de São Paulo, sob o mandato do governador Jorge Tibiriçá, a fundar uma colônia correcional subordinada à Secretaria de Estado dos Negócios do Interior e Justiça. A finalidade de penalizar os “vadios e vagabundos” era persuadí-los a abandonar o ócio e a pena era limitada a tres meses de reclusão, sendo após esse periodo reconduzidos à liberdade. O presídio destinado à detenção dos “criminosos” fora construido em uma ilha paradisiaca com 43 alqueires de extenção com montanhas e vales cobertos pela exuberante vejetação da mata atlantica.
A ilha presídio, nomeada por Ilha Anchieta é localizada na costa norte do litoral paulista, no municipio de Ubatuba, distante seis quilômetros da cidade, percurso que se faz hoje com duração de quarenta minutos a bordo de escunas. Embora tenha cessado a perseguição aos “vadios” quando houve a grande rebelião ocorrida no ano de 1952, deflagrada por criminosos de variada estirpe, causando o fechamento do presídio, a lei manteve-se em estado de “dormência” até o mês de agôsto de 2012. A supressão dessa lei veio tardiamente, embora ela em sí não representasse ameaça, porem veio para caracterizar e dar legitimidade ao que foi criado durante o governo do presidente Lula, o “Bolsa Familia” e outros auxilios congêneres, o que permite a seus beneficiários viverem no ócio, às custas do cidadão que estuda, trabalha e paga pesados e injustos tributos.
A ajuda é louvável e cristã desde que seensine a pescar àquele a quem se dá o peixe, não é louvavel quando institui o ócio e reduz o homem a um ser sem perspectivas, como a um animal de estimação.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 15 - Extinta a lei que punia a vadiagem.

13º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 0 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 30 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios. 02
Aforrar vale a pena? 02
A Primeira Vez. 02
O menino solitário. 02
A menina que vendia fósforos. 02
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho. 02
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito. 02
Na beira do mar. 02
Bem, o amado. 02
Quando o ruim pode piorar. 02
Um grande amor, não morrerá jamais. 02
Momentos inesquecíveis que podem ser tri. 02
Cabrito Surrado. 02
A falta de visão corrompe a geração! 02
Extinta a lei que punia a vadiagem. --
Lágrimas de agosto em fevereiro. 02

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 8

Comentário: A relevância social do tema é grande, a virtude do trabalho diante da tendência à vadiagem. O desenvolvimento do texto é totalmente coerente com o tema. As exposições de idéias são variadas, trazendo muitas colocações históricas inusitadas aos ouvidos contemporâneos. A originalidade de tema e apresentação é que fica a desejar. As pessoas não trabalham porque não querem? As pessoas trabalham porque querem? Qual a real função do trabalho? É um tema muito mais complexo do que parece a primeira vista. O texto demonstra respeito aos direitos dos seres humanos, porem, será que todos que recebem o beneficio do bolsa família vivem de sombra e água fresca? Não é um texto que demonstra a intenção de apontar saídas para o problema da vadiagem, apenas demonstra de forma critica a instituição da mesma através dos benefícios do governo. A divisão entre introdução, desenvolvimento e conclusão; é bastante clara. Perfeito encadeamento lógico entre as frases, belas construções. É, sem dúvida, uma redação, com tendência para a crônica jornalística. 1594 caracteres, perfeitamente enquadrado nos limites pedidos. Ótimo uso da norma culta, e com qualidade, precisão e riqueza de vocabulário. Alguns pequenos erros de ortografia, acentuação e pontuação; "extenção/agôsto/seensine/louvavel". Não há erros de concordância e regência. A impressão final é a de que estamos diante de uma ótima redação, mas há algo de errado com ela. Ao terminar de ler veio uma imagem antiga em minha mente; daqueles senhores que liam diariamente aqueles jornais politicamente corretos, e ao final de cada leitura faziam questão de tecer comentários para qualquer pessoa que estivesse ao seu lado naquele momento, invariavelmente fazendo criticas ao sistema em voga. Mas sempre que chamados a votar ou participar de qualquer coisa politizada, se colocavam na posição conservadora, o que significa dizer, manter o status quo.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: --

Comentário: Coerência e bom encadeados assuntos, boa gramática e vocabulário.

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 9

Comentário: Bravo! Conhecí esta prisão em visita exatamente de escunas, mas pelo visual lá existente a reabertura da lei, penso estarem oferecendo um BBB aos meliates. Sempre fui a favor a presídios Agricolas, e quer comer peguem na enxada. Agora promoveram ociosidades as nossas custas, só mesmo aqui... Brasillll.... Nação sem fronteiras... Parabéns. Verdades escritas aqui deixadas. Sucesso.Bjus\\Flor*

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 5

Comentário: Acho que o escritor se preocupou mais em narrar notícias do que escrever uma bela redação. Fugiu da finalidade.

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 7

Comentário: Um alerta, uma pesquisa. Bom. (Vegetação é com g).

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 6

Comentário: Texto noticioso, de pouca expressão literária.

Avaliado por J.H.Caspar - Canoas RS - Pontuação: 8

Sem Comentário.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 9

Comentário: Texto de caráter profissional, jornalístico. Parabéns.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 7

Comentário: O texto sustenta-se no teor informativo e mostra bem qual a posição do escritor, ou seja, foi escreto e objetivo. Ocorreram alguns erros de digitação e alguns poucos de português, mas não inviabilizaram a compreensão.

topo

REDAÇÃO 16

Título: Lágrimas de agosto em fevereiro.

Era agosto, mês que até então só tinha de especial o aniversário de meu pai. Era agosto. Agosto de 1990. Cheguei tímido, acanhado, mas logo fiz sucesso com a minha viola debaixo do braço. A fama se espalhou. Ele ouviu falar de um datilógrafo que cantava e tocava na hora do almoço. Veio ver. Era agosto, seu aniversário, mas o presente fui eu que ganhei. Jamais havia visto tamanha pureza, jamais havia visto tamanha inocência. Jamais experimentara tanta clareza em meus sentidos. A música continuava, mas, naquela sala de descanso, os companheiros de cantoria se desintegraram como coisa etérea. Só a música. Só a minha voz. Só o seu olhar desconsertado, insistindo, bravamente, como se estivesse tomando a decisão de pegar o seu destino à unha e não mais deixar-se levar, mas tornar realidade aquilo de que nem sequer supunha a existência. Era a pureza. Quando um dia me falou dela, acreditei sem pestanejar. Sabia que era verdade. Sabia. Sabia, pois já a conhecera no início. Era a pureza.
Tímido e com um sorriso sem graça aceitou o convite para um chope. - Pode ser hoje à noite? - Beleza! - Só conheço Madureira. - Vamos lá! - Moro muito longe, tenho que ir embora. - Legal, outro dia tomamos outro chope. Era agosto, mas o presente fui eu que ganhei. Pensava no que vinha pedindo a Deus fazia tempo. Que dificuldade ser diferente num mundo de iguais! Caramba, Deus ouviu as minhas preces! ViDa chegou! Chegou ViDa. ViDa para a minha alma, que andava meio sem calma, sem força, sem rumo. ViDa para a minha vida, que andava meio sei lá... Chegou a ViDa. Era agosto, mas o presente foi meu. - Me ajuda a pintar o apartamento emprestado? - Claro, vamos lá! Correndo o risco de me autoparafrasear, foram sonhos de meninos, meninos que pintam o sol. Meninos que, da pintura das paredes, enfrentaram o desafio da felicidade. - Não fala pra ninguém. - Mas vão saber que estamos morando... - Mas não fala. - Mas eu quero gritar pra todo mundo que eu te amo. - Grita só pra mim. - Poxa! Ta bom!
Um apartamento vazio, um colchonete, dois travesseiros, duas escovas de dente, uma panela e um fogareiro. - Vou aprender a fazer comida. - Pode deixar que eu faço. - Mas eu quero aprender, vou comprar um livro de receita. - Quer que eu te ensine? - Na verdade, já comprei o livro Receitas de mãe para filha. - Não acredito! rsrsrsrs Naquele dia comemos suflê de legumes queimado. Eu disse que estava uma delícia. Ele riu e me chamou de mentiroso. Rimos juntos da própria desgraça do suflê queimado. Um dos temas favoritos de nossas conversas era o que, na minha ignorância, eu chamava de as incoerências da língua portuguesa. Eu, sem formação nenhuma, metido a sabido, discutindo com ele, graduado e pós-graduado em Letras, detentor de um saber imenso, mas de uma humildade a toda prova. O tempo passou. Com ele, soube o que fazer. Fui estudar. Me formei em Letras. Me pós-graduei, tornei-me mestrando. Só minha ViDa mesmo para conseguir esse milagre: eu estudando tanto assim.
Era agosto, mas o presente fui eu que ganhei. Dezenove agostos se passaram, desde que reencontrei o meu amor na Terra. Agora, Deus achou que já tinha me dado muita colher-de-chá e me deixou sozinho no mundo. Éramos meninos; sou um senhor. O tempo passou. Passou, mas eu nem vi. Passou tão rápido que quando percebi já era setembro. Setembro de minha mãe e de minha irmã, mas que nunca mais terá o mesmo brilho. Outubro de esperanças; novembro obscuro, dezembro cruel e janeiro do até um dia. Hoje, fevereiro, fico pensando quando será esse um dia. Já lhe disse que não aceito outra pessoa para me recepcionar. Não vou aceitar desculpas. Lembro-me de que na sua defesa de mestrado não consegui chegar, por causa do trânsito infernal da Gávea. Aí liguei para dizer que estava voltando pra casa, pois não encontrara lugar para parar o carro, depois de milhões de tentativas. Ele estava radiante com o resultado da defesa. Disse-me, brincando, que não tinha problema, pois na minha defesa ele também não iria.
Só que ele vai. Vai porque está comigo. Vai porque é o amor das minhas vidas. Vai porque é o grande responsável por meu título de mestre. Vai porque não sai do meu coração, do meu pensamento e dos meus sonhos de reencontro. Meu Deus, como parar de chorar? Como arrancar essa dor estranha do peito? Como apagar as más lembranças? Todos dizem que o tempo ajudará. Pode ajudar, mas tornar normal a falta de uma presença insubstituível e vital, nunca. A sorte é que acredito na vida após a morte! Tudo bem que sou um crente meio morno, às vezes deixo minha fé balançar, mas ela quase sempre é o que me sustenta. Agora os agostos serão tristes. Não tenho meu pai, não tenho minha ViDa... Era agosto, mas o presente fui eu que ganhei.

topo

ANÁLISE - REDAÇÃO 16 - Lágrimas de agosto em fevereiro.

15º Colocado em número de avaliações/visualizações recebidas - 0 pontos

Pontos obtidos por poesias avaliadas - 0 pontos

Redação
Pontuação
São Caetano presa nos prédios.
Aforrar vale a pena?
A Primeira Vez.
O menino solitário.
A menina que vendia fósforos.
Querer vencer significa ter percorrido metade do caminho.
Salmo do renovo - Inspirado pelo Espírito.
Na beira do mar.
Bem, o amado.
Quando o ruim pode piorar.
Um grande amor, não morrerá jamais.
Momentos inesquecíveis que podem ser tri.
Cabrito Surrado.
A falta de visão corrompe a geração!
Extinta a lei que punia a vadiagem.
Lágrimas de agosto em fevereiro. --

Avaliado por Site do Escritor - Pontuação: 8

Comentário: A relevância social do tema é o amor, nada mais precisa ser dito a respeito. O desenvolvimento é totalmente coerente com o tema apresentado. A exposição das ideias, apesar de um tema muito utilizado, é original no sentido de que demonstra o amor em outras possibilidades. Numa outra redação vimos a critica ao casamento como sendo a formula de felicidade; aqui temos uma união entre duas pessoas do mesmo sexo com um resultado excelente. Um casamento secreto, um casamento inesperado pela sociedade. O texto apresenta uma boa consistência em suas argumentações, embora em alguns momentos o leitor tenha dificuldades em identificar sobre quem o locutor está tratando. Demonstra total respeito aos direitos humanos. Não aponta problemas, e por isso, não aponta saídas. É só uma história de vida; com suas alegrias e tristezas. Divisão nítida entre inicio, meio e fim. A organização estrutural é o de um conto. Uma redação normalmente tem menos da metade do tamanho deste texto. 3870 caracteres. Um exagero de linhas, se tomado por base o que foi pedido no regulamento. Na verdade, está redação poderia ter sido desconsiderada, talvez não tenha sido por estar bem redigida. Uso de norma culta; precisão e riqueza vocabular. Apenas um erro gramatical foi observado, o texto é de excelente precisão, e muito cuidado com a revisão. A ausência daqueles errinhos de digitação dá muita força qualitativa ao todo do texto. A impressão final é a de que é um bom texto, porém, em alguns momentos, um pouco confuso. É muito extenso, até por isso passa a ser cansativo. Normalmente, não gosto de como é tratado o tema da homossexualidade, mas este texto é muito bem escrito, parece até um romance, uma poesia. Nota-se que foi escrito com o coração. Parabéns ao autor.

Avaliado por Neônio - São Bernardo SP - Pontuação: 5

Comentário: Texto longo, não respeitando a determinação do número máximo de páginas, que é limitado em 30, muita repetitibilidade da frase: \"mas o presente fui eu que ganhei\". Também há erro de concordância da referida frase. O termo correto é: (MAS O PRESENTE FUI EU QUEM GANHOU).

Avaliado por A Flor Enigmática - Campinas SP - Pontuação: 8

Comentário: Olá. Profundo e Reflexivo seu texto. Assim é a vida, com ela aprendemos e assim vamos evoluindo. Nunca estás sozinho, se Deus está em teu coração.E a separação de teus queridos é apenas momentânea e por um véu, daqui aos Jardins dos Profetas existe a camada do Éter. Um dia estaremos todos unidos com os entes amados. Amigo, seu texto ultrapassou o permitido estipulado pelo concurso? Veja lá. Creio que sim. Sucesso\\Bjus\\Flor*

Avaliado por Tião Carneiro - Natal RN - Pontuação: 7

Sem Comentário.

Avaliado por Ana Elisa Albuquerque Lima - Valença RJ - Pontuação: 10

Sem Comentário.

Avaliado por J.H.Caspar - Canoas RS - Pontuação: 9

Comentário: Amei a tua história, gostei muito do modo como tu descreveu a tua dor. Parabéns!

Avaliado por Paivinha - Fortaleza CE - Pontuação: 5

Comentário: Extensa demais. Fugiu ao regulamento do concurso.

Avaliado por Neyd Montingelli - Curitiba PR - Pontuação: 0

Comentário: Posso até ter gostado, mas está fora dos padrões do concurso. Tem 4704 caracteres.

Avaliado por Isaac Molina - São Caetano SP - Pontuação: 8

Sem Comentário.

Avaliado por Augusto - Poços de Caldas MG - Pontuação: 10

Comentário: Muito bom texto. Tocante. Sensível. Flui legal e não cansa. Parabéns.

topo