S

A
A L A D E L E I T U R
HOME PAGE
ESCRITORES
PROFESSOR VIRTUAL
TESTES EDUCATIVOS
JOGOS LITERÁRIOS
SOB ENCOMENDA
SALA DE LEITURA
BUSCA LITERÁRIA
SEBO DA CULTURA

SALA DE LEITURA
ARTIGOS AUTO AJUDA CINEMA CONTOS CRÔNICAS ESOTÉRICO EXPRESSÕES
E-ZINE INFANTIL MEDITAÇÃO NOVELA POESIA PROVÉRBIOS TEATRO

O dilema de um reles cidadão

Autor: Elisangela Ribeiro

Contato: li26792@yahoo.com.br

Amanhece o dia e lá vem o temporal,
o vento da chuva sopra, as folhas caem no quintal.
João prepara o quebra-jejum,
sai em busca de algum trocado.

Vai a busca de trabalho,
mesmo que este seja pesado.
O mais importante é ter o que comer,
ou melhor, dar de comer .

Precisa sustentar os filhos,
sai às ruas feito andarilho.
Que jeito? O jeito é procurar até cansar.
ou até  a tarde acabar.

Vai a busca de trabalho
até o suor derramar em sua testa
pois o que conseguir,
para ele será uma verdadeira festa, alegria sem tamanho.

O dia acaba; o pôr-do-sol não parece tão feliz.
A utopia não veio.
E agora, João?
tudo isto fostes em vão!?...

Viver na extrema pobreza,
ter que se defrontar com isto
é realmente uma dureza.
João queria apenas ser considerado um cidadão.

Mas, mesmo assim, ele não desiste não;
mesmo com tanta frustração...

poesia anterior

Poesia anterior

          

Próxima poesia

próxima poesia