Noite nua

Autor: Carlos Borges

Contato: cf.borges2012@bol.com.br

Ah! que dor cruel
essa dor de amor tanto!
esse inferno de encanto
que eu vi no seu olhar.
Eta mundo desregrado
de noites nuas de estil;
sem luar, sem brisa mansa,
sem um sopro de bonança
no céu azul feito anil.
Então as horas não passam
relógio tempo quebrou
a noite grita distante
e volta um eco incessante
das agruras do amor.
e por fim,
passam os minutos vagarosos
vão e vem;
foi-se o crepúsculo,
vem a aurora
só o meu coração chora
de saudades de alguém.


Menu de poesias

Menu de poesias

Próxima poesia

Próxima poesia