Pergunta: Como faço uma redação dissertativa?

-Tenha sempre uma boa CRÍTICA
A base para uma boa redação é sempre saber criticar bem os assuntos tratados. Por isso, você tem de estar bem informado, se realmente quiser criticar algo com sabedoria e razão. Saber discutir fatos ocorridos no Senado é saber escolher entre o SIM e o NÃO - jamais fique no "talvez", "eu acho", "pode ser" no meio de uma redação, pois você tem de ter OPINIÃO (claro que ela deve estar "tudo a ver" com o tema; caso contrários você não estará criticando nada, e sim estará assinando o contrato para ser criticado) - com sabedoria. Porém, faça isso sempre respeitando tudo, com CAUTELA e muita EDUCAÇÃO. Criticar não é apenas falar coisas "ruins", e sim falar de coisas "boas" também.

-Tenha sempre uma boa rede de informações
Bom, como disse anteriormente, para saber criticar, é preciso estar bem informado, e estar a par de absolutamente todos os acontecimentos do mundo. Tente assistir todos os dias aos telejornais de qualidade, que discutam sobre assuntos variados - curiosidades, acidentes, futebol. Enfim, TUDO -, sempre nos mínimos detalhes. Navegue em sites de notícias que são atualizadas a cada minuto; leia jornais locais; compre revistas que comentem todo tipo de manchete; leia todo tipo de informativo que puder.
Mesmo que você encontre uma notícia "bananinha", leia-a com atenção; quem sabe lhe seja útil em algo futuramente? Não importa o que seja, leia, releia e leia de novo. Sem uma boa variedade de informações, a pessoa não é capaz nem de criticar, que é a base para se produzir um bom texto.

-Escreva em português, não em grego nem alemão
Bem, a dica mais óbvia é essa: a sabedoria de português. Claro que a crítica e a criatividade são os mais importantes na hora da "apuração", digamos, dos pontos; porém, a gramática é essencial para qualquer coisa que se almeje na vida. Não adianta a pessoa possuir uma boa crítica e boas opiniões; saber escrever corretamente é terminantemente fundamental. Em suma, basicamente todo bom redator deveria aprender com os próprios erros na escrita, e já deveria estar sabendo gramática corretamente...

-Saiba "juntar" as informações que você tem
Vamos supor que a redação esteja 'pedindo' para você escrever um texto sobre a TV Digital. Então, você sabe que a tecnologia possui maior e melhor resolução em relação à TV comum. E também sabe que o preço de um conversor agora não sai por menos de 700 reais. Ou seja, para você "inserir" isso numa redação, você teria que separar parágrafos falando desses pontos. Por exemplo; escreva ao lado da folha o seguinte: Parágrafo um [...]; parágrafo dois - falar dos benefícios da TV Digital em relação à TV usual; parágrafo três [...]; parágrafo quatro - comentar o preço de um conversor de TV Digital no Brasil; e por aí vai. Ou seja, você tem que fazer como num roteiro qualquer, separando cada ponto em um parágrafo diferente.
Ou então, você pode optar por comentar pontos diferentes num mesmo parágrafo. Por exemplo; a TV Digital possui benefícios tal tal tal em relação à TV comum, e blá blá blá. A novidade é ótima, porém o preço de um conversor atualmente não sai por menos de 700 reais, por isso, blá blá blá. Resumindo, você começa com um assunto, mas de algum jeito acaba "partindo" para outro ponto relacionado ao que está em questão.

-Separe a redação em pontos e verifique a existência da narrativa
Para as redações cujo tema seja a criação de histórias/contos, a dica é sempre verificar a existência dos básicos "apresentação, clímax e desfecho". Há outros pontos também existentes, mas esses trêssão os fundamentais para qualquer tipo de narração. Faça sempre as perguntas para si mesmo: "Qual é o clímax? Ele realmente existe? E o desfecho, dá um 'ponto final' ao clímax? A apresentação realmente apresenta alguma coisa/alguém?"
Na realidade, há também conflitos que vêm antes do clímax, que também são importantes. Verifique a existência deles na redação, podem ser úteis na hora do desenrolar da trama.

-Não seja uma máquina de xerox
Tão óbvio quanto quanto saber gramática.
Criatividade nessa parte, certamente, é indispensável. Não adianta copiar um trecho de algum lugar em que você o tenha lido, caso esteja relacionado ao assunto, pois você não saberá como terminar seu texto. É os mesmo que escrever o seguinte trecho, o qual você copiou de algum lugar: "Dona Rosinha saiu para passear, e de repente teve um atque cardíaco no meio da neve por onde passava" (OK, exagerei um pouco nessa). Você obviamente terá de explicar o motivo do ataque cardíaco, e nem sempre as pessoas sabem a origem da doença. E não adianta dar um desfecho à história sem essa explicação, pois tal ato implicará na descontagem de valiosos pontos.

-Saiba IMPROVISAR
É importante saber que, ao escrever algo, ocorre um inesperado logo no meio do texto. E, muitas vezes, é preciso apagar desde o início, e começar tudo novamente. Certamente dá muita raiva quando acontece isto, e para que não ocorra mais, é preciso saber "improvisar".
Sempre que você tiver uma "idéia revolucionária" na cabeça, há grandes chances de não dar certo. E, pior: você só descobre isso quando está no finalzinho da redação. E você logo pensa: "Vou ter de apagar tudo de novo!". Mas nem sempre isso é necessário. A sua "idéia revolucionária" é revolucionária pois é criativa e tem tudo para te salvar da nota vermelha, sendo assim, após pensar em apagar tudo e recomeçar, teria que desmanchar essa mesma idéia e criar uma nova. Ou seja, vai ter que finjir que a idéia revolucionária nem existiu.
Mas nunca opte por outra. Se você gostou da sua história só por causa dessa idéia, não vale a pena priorizar outros pontos da trama que nem eram tão legais e ter de apagar justo a única coisa fez a sua redação realmente valer a pena. Então, prefira APAGAR TUDO O QUE "NÃO BATE" com a idéia, e fazer com que esses itens se tornem "tudo a ver" com o pensamento principal. O intruso não é a idéia, e sim esses itens "nada a ver" com ela.
Resumindo, quando você tem uma boa idéia (desde que ela seja revolucionária mesmo, se não, não valerá a pena), não desista dela, e ao invés de apagar o Messias da sua redação, apague os intrusos que se opõem a ele. Entende?

-Leia, leia e leia! Ouvir também, aliás...
Dizem que o bom redator é aquele que lê incansavelmente livros e textos de todo o tipo. E eu concordo totalmente com isso. Só aprendi a fazer redações lendo muito, e acho que muitos também passaram por isto. Então, a dica que prevalesce sobre todas as outras é LER tudo o que você for capaz. Livros, revistas, jornais, folhetos, anúncios, enfim, leia TUDO, sobre assuntos variados, como eu já citei lá em cima, no início. Ao ler, você acaba "pegando o jeito" do autor. Passa a escrever mais ou menos como ele, acredite. E, se ele escreve bem, melhor ainda. Você estará passando a escrever BEM COMO ELE.
Outra coisa que também é importante; ouça rádios (noticiários, digo), debates, podcasts, e tudo o que você achar que envolva formalidade. A pessoa acaba escrevendo tudo formalmente também, principalmente se o que ela estiver escrevendo for uma crítica. Passa a criticar melhor, e com mais formalidade.

-E, a dica final... faça tudo com muito entusiasmo!
Concorda comigo que, quando está feliz, uma pessoa faz tudo bem melhor e mais bem feito? Numa prova, por exemplo, a pessoa acerta logo as primeiras cinco questões com facilidade. Esse "entusiasmo" vai servir como um "combustível" para ela terminar a prova sem nervosismo, e também a incentivará a fazer todas as questões com calma, pois vê que é completamente capaz. Pois é, na redação é simplesmente a mesmíssima coisa.

Fonte:
www.mundovestibular.com.br


pergunta anterior

Pergunta anterior

          

Próxima pergunta

próxima pergunta