P

L
R O F E S S O R   V I R T U A

HOME PAGE

ESCRITORES
PROFESSOR VIRTUAL
TESTES EDUCATIVOS

JOGOS LITERÁRIOS

SOB ENCOMENDA
SALA DE LEITURA
BUSCA LITERÁRIA
SEBO DA CULTURA

Pergunta: Como não fazer feio em uma entrevista de emprego?

Auto-Conhecimento é o fator chave para o sucesso na sua entrevista de emprego
Revise e reveja seu currículo, tenha uma cópia dele consigo no momento da entrevista, e se alguma das suas respostas divergir do que consta no currículo que você enviou à empresa, explique a razão.
Obtenha ou prepare uma lista de perguntas típicas de entrevistas de emprego, e convide alguém de sua confiança para praticar a lista várias vezes. Se possível, grave e depois ouça. O ideal é chegar ao ponto em que você responde a qualquer uma das perguntas básicas sem parar para pensar mais do que alguns segundos nem dizer os típicos "Ééééé", "Ahhhhh", "Bom…". Mas cuidado para não se precipitar; você deve refletir, para responder exatamente o que foi perguntado, sem ser monossilábico. Interaja, mostre que você tem conteúdo. Mas nunca exagere! Planeje boas respostas, mas sempre totalmente sinceras, para perguntas potencialmente difíceis, como a lista de seus pontos fortes e fracos, ou a razão pela qual você deixou seu último emprego. Uma boa resposta para a questão dos pontos fracos começa com "Eu percebi que não estou tão bem quanto gostaria no aspecto X, e por isto ultimamente tenho tentado corrigir isto fazendo Y". Mas só é boa se for verdade mesmo. Saiba o que perguntar.Tenha boas perguntas preparadas. Se o seu entrevistador abrir espaço para que você faça perguntas, e você não tiver nenhuma, isto pode passar uma imagem de desinteresse ou de desatenção. Embora pareça algo simples, muita gente tem uma enorme dificuldade para falar de si mesmo. Seja por timidez, seja por desconhecimento puro e simples, é um quadro muito comum.
Entre as características pessoais mais desejáveis pelas empresas atualmente, além da capacidade técnica, é com certeza o auto conhecimento. É necessário o candidato se conhecer bem. As empresas estão valorizando, cada vez mais, candidatos com um lado humano bem desenvolvido.
Para poder desenvolver plenamente seu lado humano, é necessário conhecer bem tanto as suas qualidades quanto os seus defeitos. As qualidades são interessantes para se poder analisar até onde a pessoa pode chegar e os defeitos são interessantes para poder analisar as limitações pessoais. Todos têm limitações. Seja uma dificuldade para falar em público, seja uma dificuldade para resolver equações matemáticas complexas, seja uma dificuldade com idiomas, etc… Ter limitações é humano. Saber compensar e superar as suas limitações é o lado belo de ser humano. O pior tipo de fracasso é a omissão, o pior pecado para quem quer ser uma pessoa melhor é a acomodação. Desde que se tenha coragem e dedicação, qualquer defeito, mesmo que não possa ser vencido, pode ser compensado. Existem vários perfis de personalidade, existem vários tipos de inteligência, se você não está se saindo bem na sua área de trabalho, reinvente-se, procure um novo emprego que tenha o seu verdadeiro perfil. Conheça bem a si mesmo, tenha uma postura positiva e confiante na sua entrevista de emprego, se você não tem esta característica, comesse agora mesmo a trabalhar sua personalidade, auto conhecimento é um exercício contínuo. O Que Você Tem Feito para Superar os Seus Defeitos? É preciso conhecer os seus defeitos e realmente tomar atitudes para superá-los.
Informe-se, procure saber sobre a organização que está contratando, sobre o mercado dela, oportunidades e concorrentes.
Na véspera, durma bem e se alimente de forma correta. Planeje antes sua rota para chegar a tempo.
Use o bom senso na hora de escolher a roupa, e separe-a e revise-a já na véspera. Mostre que você se dedicou para escolher uma roupa adequada a um ambiente profissional e à imagem da organização.
Chegue um pouco antes da hora marcada. Procure chegar 15 minutos mais cedo, e use o tempo extra para trocar idéias com outros candidatos ou com funcionários da organização que estejam na sala de espera.
Seja educado e civilizado, tanto na sala de espera quanto na entrevista. Não masque chiclete, não fique olhando para o relógio, desligue o celular. Evite fumar, e não abuse do cafezinho. Nunca fale mal de sua antiga empresa, empregadores, fornecedores ou clientes; nem mesmo na sala de espera, e principalmente na entrevista.
A entrevista de emprego é o momento em que você está sendo testado, está sendo observado por pessoas treinadas para ler a sua personalidade, captar os seus gestos e expressões faciais. O currículo é apenas um papel, é apenas uma prévia, é na entrevista de emprego que a empresa verifica se você tem o perfil adequado para a vaga.
É normal e totalmente compreensível um nervosismo inicial durante a entrevista de emprego, afinal o candidato está em um ambiente desconhecido e enfrentando uma situação de grande pressão. Pessoas tímidas em especial tendem a ficar bastante nervosas e falar pouco. Se este for o seu caso, a melhor maneira para superar essa barreira é a preparação: tenha seus objetivos bem claros, pesquise sobre a empresa, se informe sobre o perfil da vaga. Os entrevistadores entendem o nervosismo inicial, mas cuidado, um candidato que fica tenso durante toda a entrevista de emprego passa uma imagem negativa.
O discurso mais adequado para uma entrevista é aquele em que o candidato consegue ser objetivo, responder as perguntas do entrevistador, expor seu ponto de vista quando é convidado a fazer isso e perguntar, com tato, detalhes sobre a vaga. No meio do caminho, porém, é muito comum que os candidatos façam uso de gírias e regionalismos na hora de tirar suas dúvidas. O linguajar é um detalhe importante, dependendo das expressões utilizadas, o discurso demonstra certa imaturidade do candidato. O ideal é responder as perguntas com calma, ter tempo para pensar e expor suas idéias com tranqüilidade. Este, aliás, é outro problema grave de muitos discursos. Tem candidato que fica tão nervoso na hora da entrevista que dispara a falar e quando percebe já mudou de assunto e não respondeu a pergunta do entrevistador. Isso é muito ruim, já que o ritmo da entrevista é um fator importante.
É muito comum, o candidato usar o recurso da falsa modéstia durante a entrevista de emprego para parecer mais simpático aos olhos do entrevistador. Esqueça, é uma tática ultrapassada. Você não precisa se diminuir, do mesmo modo que você deve conhecer bem seus defeitos e falar deles abertamente, é preciso falar das suas qualidades, valorize as suas realizações, você batalhou duro por elas.
Na hora de 'vender seu peixe' ponha o ego de lado e não em primeiro lugar. O discurso não pode estar recheado de "eu fiz"; "eu consegui"; "eu conquistei"; e "eu realizei". Quando você coloca todas as conquistas em primeira pessoa pode soar presunçoso para o entrevistador. Até porque, na maior parte das empresas, os projetos e as realizações não são fruto do trabalho individual, mas sim, de uma equipe. Na hora de destacar seus feitos, procure valorizar sua participação em um projeto de sucesso implementado por uma equipe, e a partir disso, destaque como foi sua atuação para que ele fosse bem-sucedido. Lembre-se: egocentrismo não é uma característica admirada pelos contratantes.
Jamais tente esconder suas limitações, todos têm defeitos. Se você realmente acha que não tem defeitos, então é porque realmente não se conhece bem, ou mente para si mesmo.
Mentir na entrevista é o mesmo que dar corda para se enforcar. Inventar cursos, referências e trabalhos de sucesso colocará o candidato numa situação vulnerável, porque, caso seja contratado, terá de sustentar essa inverdade por muito tempo. E, como diz o ditado: mentira tem perna curta, hora ou outra seu deslize será descoberto. Aí, o prejuízo será bem maior. Quando seu superior descobrir que você não tem as habilidades destacadas na entrevista, perceberá que seu perfil não atende às necessidades da empresa, e mais, que errou ao apostar em sua seleção. Ao mentir, só estará provando que tem falta de caráter. Isso, deixará o recrutador descontente duas vezes e poderá resultar em demissão comprometendo, inclusive, futuras recomendações.
Para disfarçar o nervosismo, tem muita gente que acaba partindo para o ataque e disputando espaço com o recrutador durante a entrevista. Para driblar a insegurança, ele acaba querendo fazer pose de sabido a fim de triunfar sobre o recrutador. Isso tudo, porém, é muito mais que previsível para quem trabalha com Recursos Humanos. Aí, das duas uma: ou você perde a vaga porque o recrutador percebe sua insegurança por meio de uma postura imatura de quem está na defensiva, ou acaba sendo eliminado pela prepotência e o excesso de arrogância que esse comportamento demonstra. Por isso, não entre numa disputa direta com o recrutador. Espere, escute e, aí sim, faça suas considerações, sempre com humildade.
Uma das funções do entrevistador, com certeza, é tentar surpreende-lo durante a entrevista de emprego. Durante o dia-a-dia na empresa, sempre irão aparecer situações imprevistas, jogo de cintura é uma qualidade imprescindível. Sempre que surgir alguma pergunta inesperada durante a sua entrevista de emprego, seja sincero. Dê a sua verdadeira opinião, jamais tente agradar ou então usar respostas padrão. Sinceridade, em qualquer situação, sempre é muito importante.
Não é porque você está sendo entrevistado, que sua participação na conversa deve se limitar a responder o que o entrevistador pergunta. Por timidez ou insegurança, muita gente sai com dúvida da entrevista e isso é ruim. Caso o recrutador não mencione, é sua obrigação perguntar detalhes sobre a rotina de trabalho e benefícios. Porém, isso não significa que você deve incorporar o perguntador chato. Caso a explicação sobre a vaga não tenha sido suficiente para esclarecer suas dúvidas, pergunte com bastante delicadeza novamente: 'Desculpe-me, não ficou muito claro para mim'. Agora, se mesmo assim restarem dúvidas, deixe para outra ocasião. Perguntar sobre o salário não é uma coisa ruim, desde que você não se preocupe só em saber quanto será a remuneração. Procure se informar sobre outros detalhes para não mostrar que está interessado só no dinheiro.

pergunta anterior

Pergunta anterior

          

Próxima pergunta

próxima pergunta