Pergunta: Quais os tipos de redação e quais são usadas em concursos? Posso fazer citações numa redação?

As formas de redigir uma redação são assuntos muito discutidos em relação às provas dos vestibulares e concursos. A redação pode ser dividida em três principais tipos: descrição, narração e dissertação. As instituições têm autonomia para definir o tipo de estrutura de texto que será cobrado no exame. É importante que os alunos percebam a diferença entre os tipos de redação, e também, o que está sendo pedido no concurso.

Descrição: É explicar com palavras o que se viu e se observou. A descrição é estática, sem movimento, desprovida de ação. Na descrição o ser, o objeto ou ambiente são importantes, ocupando lugar de destaque na frase o substantivo e o adjetivo. O emissor capta e transmite a realidade através de seus sentidos, fazendo uso de recursos linguísticos, tal que o receptor a identifique. A caracterização é indispensável, por isso existe uma grande quantidade de adjetivos no texto. Elementos básicos de uma descrição: Nomear / identificar - dar existência ao elemento (diferenças e semelhanças); Localizar / situar - determinar o lugar que o elemento ocupa no tempo e no espaço; Qualificar - testemunho do observador sobre os seres do mundo. A qualificação constitui a parte principal de uma descrição. Qualificar o elemento descrito é dar-lhe características, apresentar um julgamento sobre ele. A qualificação pode estar no campo objetivo ou no subjetivo. Uma forma muito comum de qualificação é a analogia, isto é, a aproximação pelo pensamento de dois elementos que pertencem a domínios distintos. Pode ser feita através de comparações ou metáforas. Descrição Objetiva: sem impressões do observador, tentando maior proximidade com o real. Descrição Subjetiva: visão do observador através de juízos de valor.

Narração: Tem por objetivo contar uma história real, fictícia ou mesclando dados reais e imaginários. Baseia-se numa evolução de acontecimentos, mesmo que não mantenham relação de linearidade com o tempo real. Sendo assim, está pautada em verbos de ação e conectores temporais. A narrativa pode estar em 1ª ou 3ª pessoa, dependendo do papel que o narrador assuma em relação à história. Numa narrativa em 1ª pessoa, o narrador participa ativamente dos fatos narrados, mesmo que não seja a personagem principal (narrador = personagem). Já a narrativa em 3ª pessoa traz o narrador como um observador dos fatos que pode até mesmo apresentar pensamentos de personagens do texto (narrador = observador). a) o fato: que deve ter seqüência ordenada; a sucessão de tais seqüências recebe o nome de enredo, trama ou ação; b) a personagem; c) o ambiente: o lugar onde ocorreu o fato; d) o momento: o tempo da ação. O relato de um episódio implica interferência dos seguintes elementos: fato - o quê? personagem - quem? ambiente - onde? momento - quando? Em qualquer narrativa estarão sempre presentes o fato e a personagem, sem os quais não há narração. Na composição narrativa, o enredo gira em torno de um fato acontecido. Toda história tem um cenário onde se desenvolve. Desta forma, ao enfocarmos a trama, o enredo, teremos, obrigatoriamente, de fazer descrições para caracterizar tal cenário. Assim, acrescentamos: narração também envolve descrição.

Dissertação: É um ato praticado pelas pessoas todos os dias. Muitas vezes, em casos de divergência de opiniões, cada um defende seus pontos de vista em relação ao futebol, ao cinema, à música. A vida cotidiana traz constantemente a necessidade de exposição de idéias pessoais, opiniões e pontos de vista. Em alguns casos, é preciso persuadir os outros a adotarem ou aceitarem uma forma de pensar diferente. Em todas essas situações e em muitas outras, utiliza-se a linguagem para dissertar, ou seja, organizam-se palavras, frases, textos, a fim de, por meio da apresentação de idéias, dados e conceitos, chegar-se a conclusões. A dissertação implica discussão de idéias, argumentação, organização do pensamento, defesa de pontos de vista, descoberta de soluções. É, entretanto, necessário conhecimento do assunto que se vai abordar, aliado a uma tomada de posição diante desse assunto. A base de uma dissertação é a fundamentação de seu ponto de vista, sua opinião sobre o assunto. Para tanto, deve-se atentar para as relações de causa-conseqüência e pontos favoráveis e desfavoráveis, muito usadas nesse processo. Algumas expressões indicadoras de causa e conseqüência. - causa: por causa de, graças a, em virtude de, em vista de, devido a, por motivo de. - conseqüência: conseqüentemente, em decorrência, como resultado, efeito de.

Quanto as citações, bem, textos auxiliares são para auxiliar, não para copiar. A proposta de redação sempre parte dos textos de algumas das questões da prova e, às vezes, ainda acrescenta mais textos auxiliares para você ter mais informações. Tome muito cuidado: textos auxiliares são para auxiliar, não para ser copiados. Cópia é plágio, não vale nada, tira zero. É melhor fazer uma redação sua, com suas palavras, do que tentar copiar ou adaptar passagens dos textos das questões ou dos textos auxiliares. Claro, você pode fazer citações dos textos, mas com cuidado, mencionando os autores e não deixando que as citações sejam mais extensas que sua redação. Conclusão: seja autêntico, seja você mesmo, isso é sempre valorizado nas provas.


pergunta anterior

Pergunta anterior

          

Próxima pergunta

próxima pergunta