Pergunta: Educação tradicional e educação contextualizada.

Educação tradicional

A pedagogia tradicional inclui concepções de educação onde prepondera a ação de um agente externo na formação do aluno, o primado do objeto de conhecimento, a transmissão do saber constituído na tradição. Em que o objeto de conhecimento é transmitido, seja com base na tradição, seja pela ação modeladora dos conteúdos da tradição constituída;.ou pela coação, em que o objeto de conhecimento é construído fora do aluno, guiado do exterior por dispositivos como livros textos e instrução programada.

Na visão tradicional, a pedagogia, como ciência da educação, compõe-se dos seguintes elementos: o educador, o educando, o fim, os meios e os métodos. Refere-se à educação em geral (pedagogia propriamente dita) e à instrução (didática). Aprender é uma atividade do aluno, mas apenas em parte; o conhecimento é obtido de fora mediante suas formas inteligíveis organizadas e interpretadas pelo professor. O mestre se utiliza dos objetos, dos exemplos sensíveis, da linguagem, para excitar as disposições naturais do aluno e assim ajudá-lo, guiá-lo, dirigi-lo para “aprender as verdades desconhecidas”. Os exemplos sensíveis e o método intuitivo são importantes, mas o meio principal é a linguagem, a palavra (“sinal das coisas”), pela qual os objetos são mostrados, distinguidos e, por fim, conceituados.

O ensino consiste na educação de todas as faculdades do aluno usando meios intrínsecos (despertar o interesse) e extrínsecos (mover a vontade). Se a didática é ciência normativa, seu núcleo é o método. O método didático, como a própria didática, corresponde na educação à esfera da formação intelectual; sua função é estabelecer o caminho correto para comunicar e ensinar a verdade a outrem, considerando-se as disposições psíquicas do aluno.

Educação contextualizada

A educação tradicional é disseminada através de estereótipos, a educação contextualizada vai adiante e substitui estes estereótipos pela lógica educativa emancipatória que valoriza a biodiversidade, a cultura, a história, as vivências, a força do povo do lugar em questão. Para isso, a região é abordada levando-se em conta suas características peculiares, especificidades e diferenças para que, assim, busquem-se alternativas para a valorização e permanência das pessoas na região.

Uma forma de aplicar a educação contextualizada é através da utilização da pedagogia da alternância. Segundo a metodologia, o processo ensino-aprendizagem acontece tanto na escola, quanto no ambiente familiar, de maneira rotativa e cíclica. O educando aprende conteúdos na sala de aula que podem ser praticados e replicados em casa e em sua comunidade, assim como, ao retornar à escola, leva o resultado das experiências e o relato de suas descobertas.

Para a pedagogia da alternância, o centro do processo educacional é o aluno e a sua realidade. A experiência sócio-profissional se torna ponto de partida no para a metodologia de ensino, de modo que a teoria está sempre em função de melhorar a qualidade de vida do educando. Com o desenvolvimento dessa prática educacional, a tendência é gerar interesse no estudante pelas atividades locais, aprimorar as técnicas utilizadas pela sua família e pela comunidade na qual está inserido e, conseqüentemente, evitar a migração para as áreas urbanas mais concentradas.

Fonte:
Pedagogia tradicional: Notas introdutórias – Artigo – José Carlos Libâneo
A educação do campo no chão do semi árido sergipano: encontros e caminhos – Instituto Recriando

Menu de perguntas

Menu de perguntas

          

Próxima pergunta

Próxima pergunta