A responsabilidade da capacidade evolutiva humana

Autor: L. A. C. G.

O ser humano atual é denominado como Homo sapiens sapiens, entretanto, outras espécies humanas já vagaram pelo globo antes. O Homo erectus, por exemplo, é outra espécie considerada humana que viveu neste planeta por muitos anos, muito mais do que nossa atual espécie já viveu. Antes, haviam diversos tipos de espécies humanas e foi apenas a partir da revolução agrícola que nossa atual espécie concretiza sua permanência, caracterizando um sucesso evolutivo, enquanto as outras, caminhavam para a extinção. Nossos antepassados eram nômades. A vida era árdua para esses caminhantes. Nesse ponto da história, a humanidade era predadora e presa em meio a condições ambientais extremamente selvagens. Até que em algum ponto, os humanos aprenderam a manipular o fogo. Com essa habilidade, eles conseguiram aumentar seus dias com a luz, esquentar seus invernos com o calor, caçar animais com uma tocha e cozinhar presas, melhorando sua dieta nutricional.

Outro ponto determinante na evolução dessa espécie se deu com o desenvolvimento da tecnologia agrária. Os seres humanos da época perceberam que poderiam se dedicar à atividades específicas, atribuindo uma função à cada membro do grupo. Do mesmo modo, a facilidade para se cultivar comida de qualidade cada vez mais controlada só progredia. Logo, os seres humanos passaram a se organizar em aldeias, cidades, reinos e impérios. Surge a civilização. Os passos humanos na caminhada evolutiva aceleram consideravelmente. A linguagem se desenvolve e se torna mais complexa e precisa.

Com o aperfeiçoamento da comunicação, a cultura passa a se tornar uma carga intrínseca aos humanos. Com o poder da linguagem, a humanidade se diferencia de todos os animais devido à capacidade de gerar conhecimento e transpassá-lo por gerações. Ou seja, a humanidade é capaz de acumular conhecimento entre todas as gerações. Esse fato é de extrema beleza e grandiosidade para existência. Quando um macaco nasce, ele se desenvolve naturalmente com base em suas experiências e seu convívio com o grupo. O humano tem essas mesmas capacidades e além. Além de aprender sozinho e com seu grupo, ele tem acesso a informações registradas por antepassados mais antigos, têm acesso a extração de conhecimentos não só a partir do que o cerca, mas de experiências de gerações muito mais antigas, agregando imenso poder e potencial de existência à humanidade.

A partir da consolidação desse modelo e dessas capacidades, o desenvolvimento humano crescia em ritmo constante. Até que um novo marco concretiza mais uma enorme sucesso para a evolução humana. O desenvolvimento do método científico.

Nesse momento, grandes civilizações já haviam existido e desaparecido, somente o Homo sapiens caminhava pela Terra já há milhares de anos, muitos tipos de linguagem haviam sido desenvolvidas e as relações eram cada vez mais complexas.

O ser humano, em sua constante sina a caminho do crescimento e desenvolvimento, compreendeu a necessidade de um método crítico em relação ao desenvolvimento de conhecimento. Até esse ponto, havia diversas correntes filosóficas para se descobrir um fato ou agregar conhecimento, dentre elas empirismo, racionalismo e idealismo. Porém, apesar de filosofias, não existia um método crítico para separar conhecimentos coerentes à facticidade e pseudoconhecimentos. Até que o modelo científico surge, com a proposta de comprovar conhecimentos. A partir disso, é como se o ser humano encontrasse a fonte da verdade, a ciência.

Com a realização desse método, em relativamente pouquíssimo tempo, os seres humanos literalmente pararam de caminhar e começaram a voar. Tudo começa a mudar em uma velocidade nunca antes assistida. Mudanças críticas demoravam milhares e milhares de anos, e com a ciência, em apenas 500 anos o planeta Terra se torna irreconhecível para nossos antepassados. Com isso, a cultura humana é, hoje, diversificada e rica, a ponto de um estudante do ensino médio atual conhecer mais sobre física do que um físico erudito de 400 anos atrás.

Seres humanos tem atualmente a maior perspectiva de vida que já foi capaz de ter. Do mesmo modo, vive mais freneticamente do que nunca. O cérebro humano nunca foi tão estimulado como hoje. São milhares de informações sendo emitidas pelo ambiente, que é extremamente influenciado pelos humanos, a todo instante. É plausível pensar que o desenvolvimento da humanidade está caminhando de maneira exponencial, ou seja, quanto mais elevado o ser humano se torna, mais rápido ele evolui.

Perceba a escala. Antes do fogo, o ser humano era basicamente como qualquer outro animal lutando ferozmente pela sobrevivência. Com o fogo, o ser humano passa a se desenvolver e manifestar indícios de comunicação mais avançadas. A humanidade demora milhões de anos para conseguir desenvolver um meio para embasar o surgimento das civilizações. A partir daí, passa-se milhares de anos aperfeiçoando a comunicação e desenvolvendo conhecimentos de modo empírico, surgem muitas ferramentas e armas. Até que, com a ciência, em apenas alguns séculos, surgem armas capazes de destruir civilizações inteiras e até o mundo. Surgem transportes capazes de conduzir um ser humano de um polo do globo ao outro em questão de horas. O ser humano consegue chegar ao espaço com facilidade e até pisar na lua. Manda robôs para Marte. Explora a magnitude do Universo com grandes olhos mecânicos, ou telescópios. Cria tecnologias que capacitam um ser humano se comunicar instantaneamente com outro independente da distância através da rede internet. As políticas se tornam cada vez mais globais e as fronteiras parecem perder sua importância a cada dia. O ser humano atual possui mais conhecimento de mundo e de leis universais do que jamais algum ser conhecido foi capaz de captar e entender.

O futuro é incerto. Toda essa independência humana faz com que este organismo se desvincule cada vez mais de suas origens. A Terra está em mudança intensa. Um planeta de bilhões de anos abrigando uma espécie que em poucos séculos, a partir da Revolução Industrial, passou a ser mais ganancioso do que ciente. A ostentação do sucesso humano caminha aliado à uma evidente perda de vitalidade planetária. Quanto mais a espécie se desenvolve, mais o globo se torna hostil a vida em geral. Um fato compensa o outro para a humanidade, o que camufla a realidade terrestre. Será que o desenvolvimento das capacidades humanas caminharão mais rápido que a destruição da Terra? Qual rumo o ser humano optará por seguir? A responsabilidade do futuro jaz no presente.


Menu de artigos

Menu de artigos

Próximo artigo

Próximo artigo