TEMA

Homem saudável

Muito pode ser discutido em relação à definição do que seja um homem saudável. Penso que cada um deve encontrar a sua própria vida saudável. Para mim, vida saudável é diretamente associada a quantidade de momentos de felicidade que acumulo durante meu tempo na terra. É fato que a felicidade não é um estado em que nos encontramos, mas sim um fragmento de momento em que queremos teclar stop e parar o tempo naquele instante e nunca mais sair dele. É curioso, e triste, perceber que pessoas que têm tudo para estarem se sentindo felizes, na verdade estão bem tristes.
É fato que ninguém pode ter tudo que quer, aliás, normalmente nem pode ter quase nada do que quer. É fato também, que quanto mais a gente consegue, mais a gente quer. Vencemos um obstáculo, mal saboreamos o feito, e já começamos a olhar para o próximo obstáculo. Neste ciclo não saímos do stress da disputa. Não há momento de parada. Parece que todo mundo já está nascendo hiperativo e com deficiência de atenção. Eu cansei de tentar ser feliz, porque na verdade nunca serei. Está na essência humana a eterna insatisfação. Então me doutrinei a acumular os momentos de felicidade. Parece fácil, mas não é. Muitas vezes sequer percebemos que estamos vivendo um momento de felicidade. No final, sinto-me equilibrado, contrabalançando minha grande insatisfação com meus muitos pequenos momentos de felicidade.
O problema é que a maioria das pessoas não se conformam e querem ser felizes a qualquer custo. Desprezam os pequenos momentos de felicidade. Alienados pela engrenagem social desde a infância, acreditam que devem pensar “grande”. Todos se acham os bons. Fico imaginando um reino só com reis. Afinal, somos todos reis, não é mesmo? Cada um de nós acredita piamente que merece o melhor. Coitada da Ferrari! Como é que ela vai fabricar um carro para cada habitante da terra? E pior, personalizado. De forma a cada um achar que o seu é o melhor. É impossível saciar o ser humano porque ele está doente.
Por isso vejo a quantidade de academias, universidades e igrejas se multiplicando. E continuo vendo as pessoas insatisfeitas. Vejo pessoas lindíssimas fisicamente. Quem é mais velho vai concordar comigo. Nunca teve tanta gente bonita quanto atualmente. Mas muitas delas se acham feias. Nunca se estudou tanto. As mentes nunca estiveram tão abertas ao conhecimento. Mas parece até que pelo fato de conhecer o que existe no mundo, as pessoas se sentem ainda mais insatisfeitas. Nunca se propagou tamanha quantidade de igrejas, crenças e filosofias. Mas as pessoas cada vez menos acreditam numa força superior que realmente esteja ao seu lado. Porque somos pequenos deuses. No fundo, não queremos aceitar que alguém fez por nós. Queremos um Deus submisso, que aplauda as nossas vitórias individuais.
E como nos tornarmos “homens saudáveis”? Não sei. Não faço a mínima idéia. Talvez se esquecermos um pouco a expressão “saudável” e tentarmos focar primeiro na expressão “homens”. Quem sabe nos tornando humanos de verdade, possamos em fim sermos saudáveis.

Autor: Arnold Gonçalves


Redação anterior

Redação anterior

          

Próxima redação

Próxima redação