TEMA

Bolsa família

A primeira vez que vi alguém falando sobre essa tal distribuição de renda foi no programa Show do Milhão(curioso), pela fala do Senador Eduardo Suplicy. Isso foi a muito tempo atras, achei estranha a ideia, pessoas recebendo sem trabalhar pelo dinheiro. Sílvio Santos, apresentador do programa e representante do mundo empresarial achou a ideia absurda, e ironizou, chegou a ridicularizar a ideia do senador. Eu pensei, esse Suplicy é doido, acha que algum poderoso vai deixar a teta para a gente mamar um pouco? Era o governo do FHC, classe média na média; classe rica bem mais; classe pobre bem menos. Quem é de cima sobe, quem é de baixo desce. Onde poderia encaixar essa tal distribuição de renda? Sempre soube que na Europa tinha gente que recebia dinheiro do governo a vida inteira porque não conseguia emprego, mas lá, os caras tem grana, a corrupção existe, mas não é o que manda. Além do mais, se apertar, eles arrocham o povo do terceiro mundo e levam mais uns carregamentos de ouro. Não muito tempo depois, veio o Lula e criou o tal do bolsa família. É bem mais discreto do que o sonho do Suplicy, mas foi um começo, e ao que parece, foi o fim também.


Segundo a Caixa Econômica Federal:
"O que é o Bolsa Família: É um programa de transferência direta de renda, direcionado às famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o País, de modo que consigam superar a situação de vulnerabilidade e pobreza. O programa busca garantir a essas famílias o direito à alimentação e o acesso à educação e à saúde.
Quem pode participar do programa: As famílias extremamente pobres são aquelas que têm renda mensal de até R$ 77,00 por pessoa. As famílias pobres são aquelas que têm renda mensal entre R$ 77,01 e R$ 154,00 por pessoa. As famílias pobres participam do programa, desde que tenham em sua composição gestantes e crianças ou adolescentes entre 0 e 17 anos.
Tipos de benefícios: 1) Benefício Básico: concedido às famílias em situação de extrema pobreza (com renda mensal de até R$77,00 por pessoa). O auxílio é de R$ 77,00 mensais. 2) Benefício Variável: para famílias pobres e extremamente pobres, que tenham em sua composição gestantes, nutrizes (mães que amamentam), crianças e adolescentes de 0 a 16 anos incompletos. O valor de cada benefício é de R$ 35,00 e cada família pode acumular até 5 benefícios por mês, chegando a R$ 175,00. 3) Benefício Variável de 0 a 15 anos: Destinado a famílias que tenham em sua composição, crianças e adolescentes de zero a 15 anos de idade. O valor do benefício é de R$ 35,00. 4) Benefício Variável à Gestante: Destinado às famílias que tenham em sua composição gestante. Podem ser pagas até nove parcelas consecutivas a contar da data do início do pagamento do benefício, desde que a gestação tenha sido identificada até o nono mês. O valor do benefício é de R$ 35,00. 5) Benefício Variável Nutriz: Destinado às famílias que tenham em sua composição crianças com idade entre 0 e 6 meses. Podem ser pagas até seis parcelas mensais consecutivas a contar da data do início do pagamento do benefício, desde que a criança tenha sido identificada no Cadastro Único até o sexto mês de vida. O valor do benefício é de R$ 35,00.
6) Benefício Variável Jovem: Destinado às famílias que se encontrem em situação de pobreza ou extrema pobreza e que tenham em sua composição adolescentes entre 16 e 17 anos. O valor do benefício é de R$ 42,00 por mês e cada família pode acumular até dois benefícios, ou seja, R$ 84,00. 7) Benefício para Superação da Extrema Pobreza: Destinado às famílias que se encontrem em situação de extrema pobreza. Cada família pode receber um benefício por mês. O valor do benefício varia em razão do cálculo realizado a partir da renda por pessoa da família e do benefício já recebido no Programa Bolsa Família. Observação: As famílias em situação de extrema pobreza podem acumular o benefício Básico, o Variável e o Variável Jovem, até o máximo de R$ 336,00 por mês. Como também, podem acumular 1 (um) benefício para Superação da Extrema Pobreza."


Se for ver, é uma vergonha. Um país ter um trabalhador que ganha essa miséria por mês. Também é difícil de acreditar que alguém seja capaz de ter um filho só para receber esse valor, mas não duvido, o ser humano é surpreendente, principalmente para o lado negativo. Tão difícil de acreditar é crer que aqueles políticos que já desviam tanto, ainda colocam parentes para receber essa miséria. O valor é tão irrisório para o poder, que se pagassem esse valor para cada habitante do país, seria perfeitamente viável, afinal, pelos tributos, impostos, taxas..., quase tudo voltaria rapidamente ao poder. Me admira a oposição da época, brigar tanto contra a doação dessas migalhas, será que eles e seus representados ficaram com medo dos empregados saírem da senzala de suas casas e empresas?
Ao que parece, o grande beneficiário do bolsa família foi o bolsão de pobreza do nordeste. Antes disso, era comum ver notícia de gente trabalhando por um real ao dia. E ainda era para trabalhar nas piores coisas; fazer carvão, cortar cana, fazer tijolo... Mais do que o dinheiro recebido, foi a possibilidade de se libertar de qualquer trabalho escravo. Agora, não precisam aceitar absolutamente qualquer coisa. Claro que não foi só o bolsa família, melhorou o salário mínimo, combate ao trabalho escravo, combate ao trabalho infantil, melhoria das condições de trabalho, regulamentação de diversas profissões clandestinas, etc.
O pessoal do Lula está prestes a ser retirado do poder. Provavelmente tudo voltará ao normal, as senzalas voltarão a encher, e assim... Os da média poderão voltar a ir para a Disney. Os da alta para Aspen. E os da baixa... Bem... já descansaram quase dezesseis anos, tá na hora de voltar às senzalas e testar se as algemas e correntes ainda servem, já que comeram bem e devem estar mais gordos. E agora vai...

Autor: Arnold Gonçalves


Redação anterior

Redação anterior

          

Próxima redação

Próxima redação

Bolsa família